terça, 20 de abril de 2021

Cidades
Compartilhar:

‘Desaparecidas’: Tráfico de pessoas mira em meninas para exploração sexual

Katiana Ramos, com assessoria / 21 de julho de 2018
Crianças e adolescentes do sexo feminino, que residiam principalmente no interior, são os principais alvos do tráfico de pessoas na Paraíba. A informação é do Comitê Estadual de Enfrentamento ao Tráfico e Desaparecimento de Pessoas do Estado (CETDP), que apura denúncias de pessoas levadas nessas condições para a região litorânea da Paraíba, outros estados e também para o exterior.

Embora não tenha repassado o número de denúncias recebidas pelo Disque 123, a coordenadora do CETDP, Vanessa Araújo, informou que o principal objetivo do tráfico de pessoas na Paraíba é a exploração sexual das vítimas. Conforme as apurações do Comitê, a região do Brejo tem sido a rota principal dos traficantes. “Temos denúncias de meninas que foram traficadas para outras regiões do estado, em estados vizinhos e também para o exterior. Muitas vezes, o crime não é notificado como tráfico, mas como exploração sexual. Porém, esse último crime é, geralmente, a finalidade do tráfico humano”, explicou Vanessa Araújo.

Ela adiantou ainda que o Comitê também recebeu denúncia de tráfico de pessoas para fins de exploração do trabalho escravo, como um caso que aconteceu em 2017, quando um grupo de trabalhadores de Campina Grande foi recrutado para trabalhar na obra de um shopping, no Pará. “Recebemos denúncias desse tipo e também de pessoas que simplesmente desapareceram, como o caso de uma mulher que foi traficada para o exterior e a família não conseguiu mais contato. Estamos apurando esse caso e também as denúncias para articular a rede de enfrentamento a esse crime”, complementou.

Ação

Na próxima segunda-feira (23), representantes do Núcleo de Enfrentamento ao Tráfico e Desaparecimento de Pessoas da Paraíba e CETDP, em parceria com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), realizarão uma ação educativa. Além da distribuição de material educativo, na ocasião os motoristas serão convidados a assistir um vídeo sobre a temática, que será exibido no local.

“A BR-230 foi escolhida por ser a rota que leva aos municípios do Brejo paraibano, região na qual foi detectado o maior índice de violações. É trajeto também para as Regiões do Litoral e Borborema. Será exibido um vídeo didático, editado pela Ong ‘Escravo Nem Pensar’ e a finalidade é chamar a atenção da população, sobretudo de motoristas que trafegam diariamente em nossas estradas, para o problema do tráfico de pessoas”, detalhou Vanessa Araújo.

O Comitê Estadual, criado no ano passado,  é composto por representantes de diversos órgãos: Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Defensoria Pública da União, Ministério Público Federal, UEPB, Secretarias de Estaduais e entidades da Sociedade Civil.

Denúncias

Casos de tráfico humano devem ser denunciados pelo Disque 123, canal criado para receber demandas de violação aos direitos humanos. As pessoas que queiram denunciar não precisam se identificar.

Relacionadas