domingo, 19 de maio de 2019
Cidades
Compartilhar:

Defesa Civil fiscaliza qualidade da água em Campina Grande

Wênia Bandeira / 23 de março de 2019
Foto: Marcos Santos/USP Imagens
Com as torneiras vazias, a população de Campina Grande está procurando formas de manter o funcionamento de suas residências e a mais procurada a contratação de carros-pipa. Com a grande movimentação deste comércio, está em andamento uma operação da Defesa Civil que fiscaliza a qualidade da água que está sendo vendida e, só no primeiro dia de fiscalização, seis veículos apresentaram irregularidades.

Segundo o coordenador da Defesa Civil municipal, Ruiter Sansão, são três equipes espalhadas pelos bairros e BRs abordando todos os carros-pipa que encontram. Além da qualidade, os fiscais perguntam a origem e o destino final da água.

Ele explicou que o controle é feito pela placa do caminhão. “Um caminhão adesivado com selo da vigilância sanitária e com os dizeres ‘água potável’ é destinado apenas ao transporte de água tratada para população. Uma vez que se observa a presença do caminhão em um manancial que a gente sabe não ser é tratada, esse caminhão deve ser abordado”, falou Ruiter Sansão.

O coordenador da Defesa Civil contou que isso acontece porque não é permitido o transporte de água não tratada em caminhões para água potável. “Uma vez abastecido com água não tratada, esse tanque está definitivamente condenado porque na hora que ele tiver contato com água boa para o ser humano ele vai apodrecer a água”, acrescentou.

Quando a água é bruta, é adicionado pastilhas de cloro que dissolvem e garantem potabilidade para consumo humano ou animal. Essa potabilidade pode ser verificada através de analise físico química.

“É fundamental que a população que receba a água identifique a placa do caminhão e o horário e dia do atendimento e informe a Defesa Civil para que possamos saber se aquele profissional é de boa procedência”, alertou Ruiter. O contato pode ser feito através do número 199.

A água não tratada pode causar diarreia e cólera em quem a consome. Por isso, a Defesa Civil alerta que mesmo sendo água tratada, as pessoas devem ferver a água para reduzir ao máximo o risco de doenças.

Quem for pego vendendo água não tratada em caminhões com dizeres ‘água potável’ poder ter o veículo apreendido e, dependendo do caso, pode ser enquadrado em crime contra a saúde pública. De imediato, são retirados os adesivos.

Relacionadas