segunda, 23 de novembro de 2020

Cidades
Compartilhar:

Crueldade com os gatos: polícia investiga morte de vários animais em Bayeux

Aline Martins / 26 de janeiro de 2016
Foto: Arquivo
Um inquérito policial será instaurado hoje pela 5ª Delegacia Distrital de Bayeux, na Grande João Pessoa, onde 20 gatos foram queimados vivos no último final de semana. Eles estavam em um prédio do antigo Hospital São Domingos, que hoje se encontra abandonado. Um boletim de ocorrência foi registrado na Central de Polícia Civil da Capital no sábado, mas as investigações e apurações serão feitas pela delegacia responsável da área. Representantes de uma ONG vão entregar materiais que irão ajudar na apuração do caso. Abandono e maus-tratos são considerados crimes com pena de detenção de três meses a um ano, além de multa.

A presidente da Associação Harmonia dos Protetores Independentes dos Animais (Harpias), Anna Catharina Marinho de Andrade, explicou que o caso aconteceu no início da tarde do sábado. Uma das primeiras a perceber o que aconteceu foi Vânia Rodrigues – uma protetora dos animais que limpava o local e deixa ração. “Ela viu sinais de fumaça e resgatou alguns animais. Logo em seguida, nos chamou”, contou, destacando que ao verificar os focos de fogo localizados notou que havia alguns gatos mortos no local.

De imediato tentaram registrar o caso na delegacia de Bayeux, mas nos finais de semana não funciona. Como receberam o apoio da Polícia Militar conseguiram fazer o registrar na Central de Polícia Civil, em João Pessoa.

Antes de acontecer as mortes desses animais, a presidente da Harpias contou que havia protocolado, no dia 3 de janeiro deste ano, um pedido junto ao Ministério Público da Paraíba para que fosse marcada uma reunião entre a associação e a Prefeitura de Bayeux para viabilizar políticas públicas de tratamento dos animais.

Além dos nove gatos que Vânia Rodrigues conseguiu resgatar com vida, sete outros foram salvos pela Associação. Esses animais serão destinados à adoção. Os interessados em adotar ou ajudar podem acessar a página na rede social facebook (harpiasbr). O MPPB deverá será acionado novamente para ajudar nesse caso.

A delegada que vai apurar o caso, Maria Soledade Sousa, informou que os membros da ONG serão ouvidos hoje pela manhã para a abertura do inquérito que tentará identificar os responsáveis pelas mortes dos animais.

Leia mais no Jornal Correio da Paraíba.

Relacionadas