segunda, 17 de junho de 2019
Cidades
Compartilhar:

Conheça os efeitos do café no corpo e na mente

Redação / 14 de janeiro de 2019
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
O café foi uma peça historicamente importante no tabuleiro da economia brasileira e mundial. O costume de beber café está presente em inúmeros lares, ambientes de trabalho e outros espaços. No entanto, o consumidor muitas vezes não tem consciência de que algumas propriedades, como a cafeína, podem afetar o corpo de maneiras diferentes.

Segundo a Forbes, o café representa 85% da renda total do mercado de bebidas quentes e rende cerca de US$ 40 bilhões por ano mundialmente, tendo na Europa os maiores consumidores per capita. No caso do Brasil, os dados de 2017 levantados pela Associação Brasileira da Indústria de Café, a média per capita é de 5,1 kg de café por ano, número que vem crescendo.

O consumo cresce e é natural que a conscientização ganhe espaço, impulsionada pelo avanço científico. A cafeína pode ajudar um cidadão a acordar, mas, se ingerida de maneira inconsequente, pode viciar e afetar o funcionamento do corpo. Seus efeitos incidem no cérebro, estômago e outros órgãos.

Vale recordar que, em uma estimativa de seis xícaras por dia, o café pode auxiliar na prevenção de doenças de fígado, depressão, além de outras enfermidades como Alzheimer e Parkinson. Há ainda um estudo realizado pelo British Medical Journal que analisa a relação da bebida com a prevenção de melanoma, leucemia, câncer de próstata e pulmonar, entre outras doenças.

Apesar dos estudos, o jornal britânico The Telegraph aponta que o café pode entrar na corrente sanguínea em menos de 20 minutos e permanecer por 12 horas. Assim, quem tem uma sensibilidade maior deve procurar por bebidas com menor concentração de cafeína. Além disso, vale ao consumidor lembrar que o açúcar pode gerar problemas dentais e diabetes, e que o leite pode deixar a bebida mais ácida.

Vale ressaltar que chás quentes ou gelados também podem trazer cafeína. O mais importante é que o consumidor tenha consciência do que ingere e também conheça seus próprios limites. Beber café pode ser benéfico e ajudar no dia a dia, mas cada pessoa deve buscar um modo saudável para o costume cotidiano de fazer e tomá-lo.

Relacionadas