domingo, 07 de março de 2021

Cidades
Compartilhar:

Confira coluna ‘Língua e Linguagem’ do professor Trindade desta semana

João Trindade / 23 de julho de 2017
Foto: Divulgação
Muita gente despreza esse assunto, porque acha que é coisa “do primário”; só

que ele é fundamental para que se aprendam crase, pontuação e concordância: assuntos,

evidentemente, importantes.

E, para agravar a situação, alguns professores ainda o confundem com Regência

Verbal.

Se vamos tratar de Predicação verbal, definamos verbo:

Verbo é a palavra da língua que expressa uma ação, fenômeno ou intermedeia o

sujeito e um estado, situada num tempo e em determinado modo.

Quanto à predicação verbal, os verbos podem ser:

1. Significativos: o significado da frase está no verbo.

Ex.: O Homem saiu.

O homem saiu (ação).

Chove lá fora! (fenômeno).

O homem está doente (está intermediou o estado: doente).

2. Não significativos (de ligação): apenas ligam o sujeito a um predicativo*. O

significado da frase não está no verbo, mas sim, no nome (predicativo).

Ex.: O homem está triste.

* Predicativo: termo que indica um qualificativo, um estado ou atributo

qualquer, dirigido ao sujeito ou ao objeto.

Maria é bela (qualificativo).

Maria está doente (estado).

Aquele estado elegeu José senador (atributo).

Os verbos significativos se dividem em:

a) Intransitivos (não exigem complemento): O homem saiu.

b)Transitivos diretos (exigem complemento, sem preposição obrigatória):

Comprei um terreno na praia.

É interessante perceber que há verbos transitivos diretos acompanhados de

preposição, o que gera o chamado objeto direto preposicionado:

Ela ama a Deus.

Bebeste do meu vinho e comeste do meu pão.

Na verdade, tais verbos são transitivos diretos. Apenas por questão estilística ou

para esclarecer determinados contextos, foi colocada a preposição.

No primeiro caso, você poderia, simplesmente, dizer: Ele ama Deus. O a foi

usado só por uma questão estilística. No segundo, para esclarecer determinado

contexto. Observe:

Comeste o bolo (o bolo inteiro).

Comeste do bolo (uma parte do bolo).

Em ambas as frases, o verbo comer é transitivo direto.

c) Transitivos indiretos (exigem complemento, com preposição obrigatória):

Gostei do seu sorriso.

d) Transitivos diretos e indiretos, simultaneamente (exigem os dois tipos de

complemento citados): O pai doou um rim ao filho.

Há um critério fácil para reconhecer se um verbo é intransitivo, transitivo direto

ou indireto. Faça o seguinte, querido leitor: bote a mão no verbo; pare nele. Se ele não

exigir qualquer pergunta, será intransitivo. Se exigir alguma pergunta, atente para o

seguinte:

O verbo transitivo direto (vtd) exige as perguntas: o quê? quem?

Note:

Comprei (o quê?) uma casa na praia.

vtd

Conheci (quem?) tua namorada.

vtd

O verbo transitivo indireto (vti) exige as perguntas: de quê?, a quê?, com quê?

e em quê?. Ou: de quem? a quem? com quem e em quem? . Sendo que, nos dois

últimos casos, é preciso ter cuidado, porque o complemento pode ser um adjunto

adverbial.

Exemplos:

Gostei (de quê?) do seu sorriso.

(vti)

Gostei (de quem?) da sua namorada.

(vti)

Eu me referi (a quê) ao seu sorriso.

(vti)

Eu me referi (a quem?) a você

(vti)

Impliquei (com quê?) com sua nova blusa.

Briguei (com quem?) com minha namorada.

(vti)

Cuidado, no entanto, com frases do tipo:

Ele passeou com a namorada pelas ruas da orla marítima.

Ele se perdeu em diversas ruas sem sinalização.

Ambas não contêm objetos, mas sim, adjuntos adverbiais: na primeira frase, de

companhia; na segunda, de lugar.

Observação;

O objeto indireto também pode exigir as preposições por/para.

Ex.: Chorei muito por você, no passado.

(oi)

Trouxe este livro para você.

(oi)

ATENÇÃO:

A transitividade, ou não, de um verbo depende do contexto.

Exemplos:

Eu amo demais (verbo intransitivo).

Eu amo você (verbo transitivo direto).

O pai doou um rim ao filho (verbo transitivo direto e indireto).

“Operário doa rim, em São Paulo” (verbo transitivo direto).

O mesmo se diga em relação aos verbos de ligação. Não há tabelas para verbos

de ligação. Um verbo pode ser, ou não, de ligação, na frase. Tudo depende do contexto.

Exemplos:

O homem anda pelas calçadas (verbo de significação: intransitivo).

O homem anda triste (verbo de ligação).

Ele está triste (verbo de ligação).

Ele está em São Paulo (verbo de significação: intransitivo).

Ele virou a mesa (verbo de significação: transitivo direto).

Ele virou senador (verbo de ligação).

Relacionadas