sexta, 18 de agosto de 2017
Cidades
Compartilhar:

Com uma fila enorme, quem quiser tirar novo RG terá que marcar para o mês de maio

Lucilene Meireles / 12 de março de 2016
Foto: Nalva Figueiredo
A emissão de carteiras de identidade pode demorar até quatro meses na Paraíba. Um dos motivos é a Lei 10.464/2015, que exige um documento oficial ou exame laboratorial com o tipo sanguíneo e o fator RH. Desde dezembro de 2015, quem for solicitar o documento nas Casas da Cidadania e no Instituto de Polícia Científica (IPC), em João Pessoa, precisa levar os comprovantes, necessários também para a segunda via. Quem tem o RG, não precisa trocar.

“Essa questão do fator RH, do grupo sanguíneo, gerou um pós. O pessoal agendou para janeiro. Como a legislação era nova, as pessoas não viram que era preciso essa informação. No dia agendado, não trazia o exame. Fomos reagendando para fevereiro. Hoje, se for agendar, não tem vaga na internet. Fechou o mês de abril e vamos abrir maio”, afirmou Marcos Lacet gerente de Identificação Civil e Criminal do IPC. O reagendamento para um prazo maior, segundo ele, leva ao não comparecimento. Quem informa um e-mail no agendamento eletrônico, recebe um aviso dois dias antes.

O tempo médio para receber é de 15 dias. Porém, segundo o gerente, no interior, pode demorar um pouco mais. Ele disse que há um volume gigantesco para fazer as conferências.

Leia mais no jornal Correio da Paraíba

Relacionadas