segunda, 17 de junho de 2019
Coletivos
Compartilhar:

Conduta de motoristas de João Pessoa lidera denúncias na Semob

Aline Martins / 03 de março de 2018
Foto: Arquivo
Das principais reclamações feitas pelos usuários de transporte público de João Pessoa, a conduta do motorista lidera nas denúncias. No ano passado, a Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana da Capital (Semob) recebeu 440 denúncias. Esse número representa 45,36 % do total de 970. Além do comportamento do motorista, seguem o ‘não atender ao sinal da parada’, o desrespeito ao idoso e o desrespeito ao deficiente. No entanto, nem todos os passageiros acabam denunciando os problemas no transporte por acreditar que não terá um retorno na melhoria do serviço.

As denúncias podem ser feitas pelo e-mail da Prefeitura Municipal de João Pessoa, mas também na Ouvidoria e nos telefones disponibilizados pela Superintendência de Mobilidade.

Segundo o chefe de Fiscalização do Setor de Transporte da Semob, Sérgio Murilo Farias, ao receber as reclamações por telefone é feita uma averiguação a partir da abordagem ao motorista ou cobrador. “Nós temos fiscais que averigua a denúncia. Nós ouvimos os dois lados. O operador também apresenta a sua versão e depois ele é convocado a passar pelo setor de qualificação. Em qualquer situação, até mesmo quando o fiscal flagra a ação e notifica, por exemplo, de queima de parada, o operador passa pelo setor de requalificação”, frisou.

Além disso, Sérgio Murilo informou que as irregularidades ficam no histórico do operador. “A gente acompanha para saber se aquela atitude foi esporádica ou se há reincidência. A empresa também tem um setor de acompanhamento. Já houve casos até de demissão”, comentou. Outra questão é as leis como paradas segura as mulheres e as leis dos idosos e dos deficientes.

Ele informou que todos os operadores têm conhecimento. “Eles passam por treinamentos e em todos é informado isso”, destacou.

Fátima Araújo, que é agente de mobilidade e psicóloga do Setor de Capacitação e Qualificação de Operadores da Semob, explicou que o treinamento é feito em duas etapas: treinamento interpessoal e regulamentação de ônibus, táxi, transporte escolar (dependendo da ocupação de cada pessoa).

“Eu sou responsável pelo treinamento interpessoal. Fazemos a relação parte pessoal com o trabalho. Mostramos a diferença no atendimento, as relações entre as pessoas, a inteligência, a motivação emocional de cada um para chegarmos a conclusão de que atender bem faz a diferença. É preciso estar bem para atender bem. De qualquer forma é preciso entender que o transporte coletivo é uma concessão pública. É preciso que eles revejam alguns conceitos e é o que fazemos”, afirmou.

Câmeras ajudam a fiscalizar, diz Sintur



O Sindicato das Empresas de Transporte Coletivos Urbanos de João Pessoa (Sintur-JP) emitiu uma nota de esclarecimento ao Jornal Correio da Paraíba. “O Sintur-JP informa que todos os coletivos são equipados com câmeras que, além de ajudar na segurança do usuário, permite que as empresas fiscalizem o cumprimento das paradas, a velocidade regulamentada, respeito às regras de trânsito, etc. Portanto, quando o motorista desrespeita qualquer norma ele é convocado e é advertido. O Sintur zela pela qualidade do serviço que presta à população e está sempre vigilante quanto à conduta de seus colaboradores para que respeitem sempre o direito dos usuários do transporte público em João Pessoa”.

Sem retorno

A reportagem também procurou o Sindicato dos Motoristas da Paraíba, mas até o fechamento dessa edição as ligações não foram atendidas.

 

Relacionadas