terça, 21 de novembro de 2017
Cidades
Compartilhar:

Ciclovia da Beira Rio vai sair do papel

Ainoã Geminiano / 16 de março de 2016
Foto: Nalva Figueiredo
Andar de bicicleta é bom para a saúde das pessoas e para o planeta, mas faltam espaços nas cidades para o ciclismo.

O plano cicloviário da Prefeitura de João Pessoa quer criar uma rede que interligue todas as regiões da cidade. A proposta é que as pessoas possam se locomover de bicicleta fazendo trajetos sem interrupção, para qualquer destino escolhido. Embora essa mudança toda demande tempo, o superintendente de Mobilidade Urbana da Capital disse que a primeira etapa da expansão será feita este ano, na Avenida Beira Rio, ligando o Parque Solon de Lucena à orla. O plano, porém, ainda não prevê o que será feito com ciclovias como a da Avenida Tancredo Neves, que tem 1,4 km de extensão, que foi construída fechando a entrada de vários estabelecimentos e está com vários trechos obstruídos.

Segundo o superintendente da Semob, Carlos Batinga, o plano de mobilidade, que inclui várias modalidades de transportes, terá uma rede completa de ciclovias, mas não será executado de uma só vez, por conta do contingenciamento de verbas federais. “Diante disso, resolvemos dividir a parte das ciclovias em etapas de curto e médio prazo. Em curto prazo, para ser executada ainda este ano, teremos a ciclovia da Beira Rio, junto com a requalificação da via. A médio prazo, com um planejamento para os próximos cinco anos, teremos a recuperação de algumas ciclovias já existentes e a construção em outras áreas da cidade”, disse.

Na Tancredo. Sobre a ciclovia da Tancredo Neves, Batinga disse que a Semob tem um número reduzido de técnicos e os estudos da equipe ainda não chegaram a essa via. “Ainda nem sabemos ao certo a situação desse trecho, se poderemos reaproveitar a ciclofaixa ou se teremos que construir outra, trazendo para junto do canteiro central. Estamos focados nos projetos de curto prazo, como a construção da ciclovia da Beira Rio, a conclusão do plano de mobilidade. Depois vamos enviar a equipe para a Tancredo”, explicou.

Sobre a malha atual de ciclovias, o superintendente reconheceu que existe uma grande defasagem, o que deverá ser corrigido com a execução do plano de mobilidade. “Hoje só podemos dizer que temos ciclovia na orla, na Avenida Hilton Solto Maior, a partir do conjunto José Américo, que se junta à ciclovia da orla, a partir da Praia da Penha, passando pela Estação Ciências”, disse.

Relacionadas