quinta, 19 de outubro de 2017
Cidades
Compartilhar:

Chuvas garantem recargas nos açudes do Cariri e Sertão

Francisco José e Giovannia Brito / 31 de março de 2016
Foto: Arquivo
As fortes chuvas que foram registradas nas últimas 48 horas nas regiões do Cariri e Sertão da Paraíba, fizeram com que açudes de pequeno e grande porte recebessem recargas em seus volumes. O Lagoa do Arroz, em Cajazeiras, recebeu mais de 1,2 milhão de metros cúbicos. Já a barragem de Coremas recebeu um aporte de 772 mil metros cúbicos, segundo dados da Agência Estadual de Gestão de Águas da Paraíba (Aesa). Chuvas foram registradas em 137 municípios.

Em São José de Princesa, Alto Sertão, o céu começou a ficar nublado por volta das 17h00, da terça-feira, e uma hora depois começou a chuva que permaneceu por toda a noite. Na manhã de ontem, quando técnicos foram colher os dados verificaram que a chuva foi de 170 mm. Já em Cajazeiras a chuva foi de 85,4 mm. Por causa dessa chuva, ruas ficaram alagadas e uma parte do muro lateral do cemitério de Cajazeiras desabou e um túmulo também foi danificado pela água.

No Cariri paraibano, a maior precipitação foi registrada em Monteiro, 91 mm, em apenas uma hora. A chuva alagou ruas e provocou inundações em casas localizadas nas partes mais vulneráveis da principal cidade. Uma barragem do município sangrou.

Apesar das precipitações registradas na região, elas não foram suficientes para aumentar o volume do Açude Presidente Epitácio Pessoa, no município de Boqueirão. O manancial é o responsável pelo abastecimento de água de Campina Grande e mais 18 cidades. O reservatório, segundo os técnicos da Aesa, perdeu um milímetro nas últimas 24 horas. “Uma recarga só poderá ocorrer se as chuvas no Cariri se intensificarem nos próximos dias”, frisou o meteorologista, Flávio Fernandes.

Ainda de acordo com ele, para que o Açude de Boqueirão possa receber uma substancial recarga, é necessário que chova intensamente em toda a região das cabeceiras do Rio Paraíba. Já no Alto Sertão e Sertão os açudes de grande e pequeno porte receberam aportes consideráveis. O São Gonçalo, em Sousa, voltou a receber muita água e agora está 34,4% do seu total.

Leia mais no Jornal Correio da Paraíba.

Relacionadas