domingo, 19 de maio de 2019
Cidades
Compartilhar:

Chuvas agravam situação de prédios históricos no Centro de João Pessoa

Lucilene Meireles / 04 de abril de 2019
Foto: Assuero Lima
Em apenas cinco dias, pelo menos dois imóveis localizados no Centro Histórico de João Pessoa desabaram parcialmente por conta das chuvas e, pelas condições que outros prédios apresentam, há risco de novos acidentes. São rachaduras, partes de telhados e paredes se soltando, estruturas antigas – algumas tombadas – que não recebem manutenção e, por isso, ameaçam ruir. O último levantamento da Coordenadoria de Defesa Civil do Município, realizado em 2012, apontava 85 imóveis nestas condições, e um novo está previsto para este ano.

Pedestres e donos de veículos afirmam estar preocupados porque o perigo está em vários pontos do Centro Histórico da Capital. O aposentado Ulisses Gutemberg Ferreira da Silva costuma passar com frequência pela Rua Visconde de Pelotas e, observou que o prédio localizado na esquina, em frente à Praça Dom Adauto, é um risco para quem passa perto. As paredes antigas e sem manutenção estão rachadas. “É um descaso. O dono abandona o prédio e fica esperando cair para fazer uma construção moderna. O povo invade e toma conta, vivendo em risco também. E a Prefeitura não faz nada, além de uma escora”, observou.

No Porto do Capim, a situação também é preocupante, segundo o estoquista Thiago Bernardo da Silva. “É sempre um risco passar perto desses prédios”, resumiu. Já a dona de casa Eronita Gonçalves da Silva lembrou que algumas construções receberam melhorias, mas não foram ocupadas. “Com o abandono, estão caindo aos pedaços de novo. Foi dinheiro jogado fora”, opinou.

Na Praça Álvaro Machado, imediações da estação ferroviária, no Varadouro, as ruínas do antigo Hotel Luso Brasileiro também ameaçam tombar. Diógenes Patrício de Arruda, proprietário de uma oficina ao lado do imóvel, relatou que parte da parede já caiu sobre um veículo. “Isso faz tempo, mas pode acontecer de novo”, disse.

Novo levantamento

A Defesa Civil junto a outros órgãos responsáveis por fiscalizar e realizar a manutenção de algumas dessas construções, deve iniciar um levantamento da situação e contabilizar quantos, de fato, apresentam risco iminente de ruir. A ideia é, também, verificar quantos imóveis receberam melhorias neste período, ou seja, desde 2012. Os levantamentos sobre a situação dos prédios localizados no Centro Histórico são realizados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Coordenadoria do Patrimônio Cultural de João Pessoa (Copac), Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba (Iphaep). O último foi realizado há sete anos e uma nova verificação está prevista para 2019.

“Estamos nos mobilizando, junto com esses órgãos, para montar uma força-tarefa e fazer um novo acompanhamento, ver os prédios que foram recuperados”, informou Noé Estrela, coordenador da Defesa Civil de João Pessoa. Os proprietários, segundo ele, não podem alterar nada da fachada original, apenas recuperar.

Alguns imóveis são de responsabilidade da Prefeitura, conforme o coordenador, e o trabalho é acompanhado por arquitetos e engenheiros. “Já observamos que a fachada do antigo Hotel Luso Brasileiro está bem acentuada. Alguns prédios da Rua Duque de Caxias também, inclusive tem um com escoramento”, destacou.

Relacionadas