terça, 13 de novembro de 2018
Chuva
Compartilhar:

João Pessoa recebe quase metade da chuvas esperadas para um mês

Lucilene Meireles e Aline Martins / 12 de julho de 2018
Foto: Reprodução
Em apenas um dia, João Pessoa recebeu 45% das chuvas previstas para todo o mês de julho. Foram 106,6 milímetros de terça-feira até as 9h dessa quarta-feira (11). A média histórica para o mês é de 236,6 milímetros, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). O bairro de Manaíra foi o que recebeu a maior quantidade de chuvas, seguido de Altiplano e Tambauzinho. Apesar do volume, a Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil de João Pessoa (Compdec/JP) não recebeu nenhum chamado da população. Porém, pelos bairros da Capital, muitas vias ficaram intransitáveis ontem. A previsão do Inmet é que hoje seja mais um dia chuvoso, mas com volume menor.

No Varadouro, houve acúmulo de água em frente à Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU). Já no Bairro das Indústrias, ruas que não são calçadas foram tomadas pela lama. Na manhã de ontem, ainda estavam alagadas. O comerciante Emerson de Luna mora na rua Motorista José Pontes da Silva e relatou que, quando chove, fica difícil para o pedestre andar pela via. “Para quem mora aqui, é bem complicado”, lamentou. A Rua Iraque também está entre as que ficaram alagadas com a chuva.

O motorista Artur Damásio de Lima reclamou que a Rua Cidade Campo de Santana, no mesmo bairro, ficou cheia de lama e buracos. “Passar por essas ruas acaba comprometendo o veículo. Quando chove, a gente já se preocupa”, acrescentou. A comerciante Marizete Galdino da Silva observou que, se os grandes volumes de chuva trazem problema até em vias asfaltadas, nas que não têm calçamento, o problema é maior. No bairro de Mangabeira, o alagamento tomou toda a Rua Luiz Gonzaga Holmes de Almeida, que cruza com a Avenida Hilton Souto Maior.

No município de Bayeux, próximo ao viaduto que dá acesso ao aeroporto, houve alagamento. “Quando a chuva estava forte, não passava pedestre. Só os veículos. Mas, agora pela manhã, a água escoou”, contou o aposentado José Gonçalves, que mora nas imediações. O trecho do Rio Jaguaribe, que passa sob a ponte na Avenida Tancredo Neves, em João Pessoa, havia sido limpo recentemente, mas as chuvas arrastaram muito lixo para o local. “Já limparam com a draga, mas o povo joga lixo e aí vem parar tudo aqui outra vez”, constatou o pedreiro Severino da Silva.

Prevenção

As equipes da Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil de João Pessoa (Compdec/JP), realizaram a limpeza nas áreas dos rios Cuiá e Jaguaribe, nas imediações do bairro do Cristo Redentor. “Estamos trabalhando como forma de prevenção nesse período de chuvas”, comentou o coordenador Noé Estrela. Como ainda há previsão de chuva, todas as secretarias da Prefeitura de João Pessoa estão de plantão.

A Defesa Civil mantém a observação constante sobre possíveis avisos de atenção emitidos pelo Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden). Dentre as cidades monitoradas pelo Inmet, 18,5 graus foi a menor temperatura na Paraíba, na madrugada de ontem. O registro foi feito em Campina Grande. Hoje, deve variar entre 17 e 33 graus as temperaturas mínima e máxima previstas para o Estado.

JP deve ter mais um dia de chuva

Em João Pessoa, devem ocorrer mais chuvas hoje, mas em menor volume. O meteorologista Ednaldo Correia de Araújo, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), explicou que últimas precipitações pluviométricas estão dentro da normalidade. “As chuvas foram decorrentes da nebulosidade presente no oceano que se deslocou em direção ao continente”, disse. Não há previsão de chuvas para outras áreas do Estado.

O meteorologista acrescentou que a tendência é de mais chuva nos municípios de João Pessoa, Campina Grande e Areia. Na Rainha da Borborema e em Areia, pode chover cerca de 20 milímetros. Já na capital paraibana, entre 20 e 30 milímetros. Nas duas últimas, onde normalmente faz mais frio durante o período de inverno, a temperatura pode despencar até os 17 graus.

Relacionadas