quarta, 21 de agosto de 2019
Chuva
Compartilhar:

Após as chuvas, água ainda não baixou nas ‘Três Lagoas’

Katiana Ramos / 28 de junho de 2019
Foto: NALVA FIGUEIREDO
Mesmo com a trégua das chuvas em João Pessoa, pelo menos 70 famílias da comunidade Beira Molhada, próximo às ‘Três Lagoas’, no Distrito Industrial, continuam sem poder voltar para as casas. A água permanece no interior da maior parte dos imóveis e, na tarde de ontem, alguns moradores desabrigados protestaram alegando que não estão recebendo apoio da Prefeitura da Capital para poder voltar para suas casas.

O ajudante de serviços gerais José Isaac está entre os moradores da comunidade das Três Lagoas que teve a casa completamente tomada pela água no último dia 12. No entanto, sem ter como pagar aluguel, ele continua no imóvel, juntamente com a família. “Aqui é rato, cobra, caranguejeira, escorpião. Tudo que é de inseto a gente acha aqui dentro de casa. Perdi móveis, roupas. Mas, como não tenho condições de pagar aluguel, estou aqui. Dormir à noite a gente não dorme com medo de acontecer alguma coisa”, desabafou José Isaac.

Ele e outros moradores afetados pela cheia das lagoas e invasão da água nas casas alegam que as equipes da Prefeitura de João Pessoa só estiveram na comunidade nos dois primeiros dias após a inundação. “Eu tô morando em uma casa emprestada porque não tenho como pagar aluguel e também não recebi nenhuma ajuda da Prefeitura.

Só vieram aqui no primeiro dia. Depois disso, nada”, contou o autônomo José Targino.

A dona de casa Maria de Lourdes da Conceição disse que perdeu vários móveis e utensílios domésticos com a inundação. Mesmo com a renda de um salário mínimo, ela disse que está conseguindo pagar o aluguel de outro imóvel próximo ao local. “Estou pagando aluguel sem poder. Mas, o que eu quero mesmo é voltar para minha casa. Só que desse jeito, cheio de água, a gente tem medo de acontecer alguma tragédia”, acrescentou.

Protesto. Revoltados com a situação nas Três Lagoas, manifestantes interditaram nessa quinta-feira (27) o Km 28 da

BR-230, sentido Bayeux/Cabedelo, por volta das 15h. Eles utilizaram ferros e queimaram pneus. Após a chegada da PRF)no local, a faixa esquerda da via foi liberada. O protesto durou cerca de duas horas e causou engarrafamento no trecho.

PMJP faz drenagem no local

A reportagem procurou as equipes da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) para saber sobre o apoio às famílias que tiveram imóveis invadidos pela água no último dia 12. O coordenador da Defesa Civil Municipal, Noé Estrela, informou que as equipes da Coordenadoria e da Secretaria de Infraestrutura (Seinfra) estão realizando o serviço de drenagem na comunidade Beira Molhada (Três Lagoas) e ainda no Bairro São José desde a semana passada.

Segundo ele, o serviço deve continuar neste final de semana. “Nós estamos acompanhando as comunidades afetadas desde o início. Agora, como tem chovido quase todos os dias em João Pessoa isso dificulta o trabalho e deixa o processo de drenagem mais lento”, explicou. Noé disse ainda que só após a retirada da água das casas será possível fazer uma avaliação dos imóveis para saber se as estruturas oferecem riscos. “A casa que caiu ontem (dia 26) na comunidade das Três Lagoas já estava com problemas e prontamente nós retiramos a família do local”.

A secretária da Seinfra, Sachenka Da Hora, também confirmou que o serviço de drenagem na área das casas afetadas pela cheia das Três Lagoas e também do Rio Jaguaribe, no Bairro São José, continua.

Por sua vez, a Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) informou, por meio da assessoria de imprensa, que as equipes da pasta estão analisando a situação das casas e detectando as necessidades das famílias. Segundo a assessoria, já foram disponibilizadas cestas básicas, roupas, calçados e equipes de saúde vão ao local quando necessário. Além disso, o secretário Diego Tavares deve visitar a comunidade nesta sexta-feira (28).

 

 

Relacionadas