sábado, 23 de janeiro de 2021

Cidades
Compartilhar:

Centro Municipal de Imunização recebe em média 600 pessoas por mês em JP

Bárbara Wanderley / 28 de outubro de 2017
Foto: Assuero Lima
Mordidas de animais como cachorros, gatos e morcegos levam em média 600 pessoas por mês a procurar o Centro Municipal de Imunização de João Pessoa. O local é o único da cidade a atender esse tipo de caso realizando a vacinação antirrábica em humanos.

A coordenadora do Centro, Rosa Virgínia Fernandes, afirmou que no período de vacinação antirrábica em animais a procura aumenta, porque muitos trabalhadores da campanha são mordidos. “Às vezes o dono não segura direito, o animal acaba mordendo e o funcionário também não se preocupa em pegar o telefone da pessoa. Já conversamos com o Zoonoses para orientar esses trabalhadores a sempre pedir o telefone da pessoa”, afirmou, acrescentando que é importante ligar depois para saber se o animal ficou doente.

Rosa explicou que ao sofrer uma mordida, o primeiro passo é procurar o Centro. “Não adianta ir ao Hospital Edson Ramalho, não adianta ir ao Arlinda Marques, porque vão encaminhar para cá. Esse serviço só é oferecido aqui”, disse.

Ela destacou que os ferimentos dessa natureza não devem ser fechados com nenhum tipo de curativo, apenas lavados com água e sabão, e que é essencial procurar o serviço independente de o animal ser vacinado ou não, até porque os ataques de animais são de notificação compulsória.

Nos casos de ferimentos em extremidades como rosto, mãos e pés – áreas consideradas de risco pelo Ministério da Saúde – é necessário tomar a vacina, independente do estado de saúde do animal, seja ele vacinado ou não.

Os ferimentos em outros locais são avaliados caso a caso. Se o animal for conhecido e passível de observação, é necessário passar dez dias de olho no seu comportamento. “Quando o animal está doente geralmente morre entre o terceiro e o quinto dia”, disse Rosa.

Ela explicou que, assim como ocorre com os humanos, as vacinas atuam no animal de acordo com o organismo de cada um, de modo que, mesmo um animal vacinado, pode contrair a doença se estiver com a imunidade baixa. Por isso o Centro sempre deve ser procurado para avaliar cada ferimento. Dependendo do caso podem ser necessárias de duas a quatro vacinas e um soro.

Relacionadas