quarta, 21 de agosto de 2019
Cidades
Compartilhar:

Cemitério Senhor da Boa Sentença tem lixo acumulado e muro caído

Ainoã Geminiano / 09 de maio de 2019
Foto: Assuero Lima
Depois do Dia de Finados, o Dia das Mães é a data em que os cemitérios recebem maior número de visitas no ano. Mas, faltando pouco para o Dia das Mães, a situação ainda é crítica no principal cemitério de João Pessoa, que está com boa parte tomada pelo mato, muitos túmulos e bancos quebrados, além do muro totalmente aberto na parte de trás, o que inviabiliza qualquer controle de acesso ao local, transformando o Boa Sentença em território de fácil acesso para criminosos, durante a noite e nos dias de menor movimento.

O cenário de abandono do Cemitério Senhor da Boa Sentença, que fica no Varadouro, na Capital, é uma situação recorrente. No ano passado, nessa mesma época, a reportagem do CORREIO visitou o local e encontrou os passeios entre os túmulos tomados pelo mato, muitos túmulos quebrados, além do muro da parte de trás, onde ficam os ossários, que havia caído sobre as casas da Comunidade Bela Vista, espalhando ossadas no quintal dos moradores. Um ano depois, a reportagem voltou ao local e encontrou a mesma cena. No local onde o muro caiu, a única diferença é que os moradores das casas abaixo limparam seus quintais e os ossos foram recolhidos.

Na parte de trás do cemitério, o mato cresceu tanto que chegou a cobrir alguns túmulos. “O mato não é o único problema. Aqui tem criadouro de mosquito da dengue e até cobras. É um risco pra quem vem pra esse lado. Além disso, o muro aberto facilita o acesso de pessoas envolvidas com o tráfico aí da comunidade. Esse cemitério é cheio de drogas e armas escondidas. De noite, ninguém tem coragem de vir aqui pra trás, por corre risco até de morrer”, disse um selador autônomo, que presta serviço aos donos de túmulos e não quis ser identificado.

Já a limpeza do local, só acontece perto das datas comemorativas, segundo Humberto Carvalho, que também trabalha como zelador autônomo no Boa Sentença. “A última limpeza aqui foi feita no ano passado, perto do Dia dos Pais. Estão fazendo agora pra o Dia das Mães e depois só no Dia de Finados. A gente limpa os túmulos, somos pagos pelos famílias, mas esse mato e que está quebrado tem que ser a prefeitura”, disse.

O administrador do Senhor da Boa Sentença, Joacil Silva, disse que a Prefeitura criou uma programação de quatro limpezas anuais no cemitério, independente de data comemorativa. “A limpeza inclui capinação, coleta de todo o lixo, pintura do meio-fio. Com relação aos túmulos quebrados, as famílias é que devem providenciar o reparo e solicitar o reembolso do serviço à Prefeitura. A nós, cabe a responsabilidade de guarda do patrimônio”, disse.

Sobre o muro aberto na parte de trás, o administrador reconheceu que o problema já tem mais de um ano e disse que já foi feita a licitação do reparo, com previsão de começar a obra nas próximas semanas, sem especificar uma data.

No Santa Catarina



Se a limpeza no Senhor da Boa Sentença passou a ser a cada quatro meses, no Cemitério Santa Catarina, que fica no Bairro dos Estados, a faxina ainda segue apenas nas datas comemorativas. O local não tem tanto mato, mas há lixo para recolher. “Como estamos do lado da sede da Emlur, sempre que há alguma necessidade extra, solicitamos e eles mandam uma equipe para fazer a manutenção. Temos conseguido manter a organização das coisas por aqui. Mas a limpeza geral mesmo só acontece nas semanas dos feriados em que as pessoas vêm visitar”, disse o servidor administrativo, Adalberto Temóteo.

Relacionadas