quinta, 21 de março de 2019
Cidades
Compartilhar:

Carros não respeitam as faixas exclusivas de ônibus em João Pessoa

Lucilene Meireles / 11 de agosto de 2018
Foto: Assuero Lima
A faixa exclusiva para ônibus na Avenida Josefa Taveira, no bairro de Mangabeira, Zona Sul de João Pessoa, é monitorada por câmeras, mas em vários trechos, os condutores de outros veículos invadem a área proibida e, além de atrapalhar a circulação do transporte coletivo, estão sujeitos a multas. A infração, que ocorre em todas as vias onde há faixa só para os coletivos, gerou, até 24 de julho, uma média de 19 multas por dia aplicadas pela Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob). O total de multas em 2018 é mais que o dobro das que foram aplicadas durante todo o ano de 2017. Mesmo assim, o problema não foi resolvido.

A comerciante Clébia Michele Alves, que trabalha na Feirinha de Mangabeira, afirmou que a faixa exclusiva para ônibus beneficiou muita gente, mas atrapalhou também. “Os motoristas de veículos de passeio param direto, principalmente os comerciantes que fazem carga e descarga. Eles vivem sendo multados, porque tem uma câmera ‘vendo’ tudo”, observou.

Geraldo da Silva Trajano é um dos que têm colecionado infrações e punições. “Trabalho com banana e preciso descarregar. Tem um horário estipulado, mas é a partir das 8h30. Eu chego às 5h e acabo parando antes. Não posso perder tempo. Tenho várias multas, mas não tem outro jeito. O ideal é que aqui fosse uma Zona Azul. Essa via não tem estrutura para comportar o trânsito e ter faixa exclusiva para ônibus”, disse.

Alguns comerciantes têm medo de se identificar, mas justificam que só cometem a infração porque precisam trabalhar. “Paguei três multas porque não tenho tempo nem para recorrer. Outro colega pagou R$ 3,8 mil e está com a mão na cabeça com o prejuízo. Ninguém concorda com a faixa exclusiva”, afirmou um comerciante que preferiu não se identificar.

Além de veículos de comerciantes e de clientes do comércio de Mangabeira, motociclistas também desafiam as câmeras de monitoramento e ocupam o espaço indevidamente. Sem contar com pequenos comerciantes que colocam o lixo sobre a faixa exclusiva, obrigando os coletivos a desviarem para o centro da via. A faixa exclusiva foi implantada no bairro de Mangabeira em junho de 2016.

"A Semob realizou o trabalho de orientação antes da implantação das faixas e garante a sinalização necessária para indicar a exclusividade. Trata-se de uma medida importante para garantir o fluxo do transporte público e diminuir o tempo dos trajetos. Isso só acontece se contarmos com a colaboração de todos, principalmente os condutores. O esquema de trânsito precisa priorizar o coletivo", disse o superintendente da Semob-JP, Adalberto Araújo.

Trechos críticos

O trecho onde mais ocorrem as ‘invasões’ à faixa exclusiva é a Avenida Dom Pedro II, no Centro da Capital, mas Mangabeira figura entre os principais, conforme a Semob. O problema, que acontece com maior intensidade nos horários de pico, não para por aí. Em outras vias onde há a faixa exclusiva, como na Avenida Epitácio Pessoa, uma das mais movimentadas da cidade, a via dos coletivos é frequentemente ocupada por motoristas.

A fiscalização nestas vias é realizada pelos agentes de mobilidade in loco, mas a parte mais representativa é através das câmeras de monitoramento.

Sobre o aumento no número de infrações, um fator que contribuiu foi a implantação da faixa exclusiva na Avenida Dom Pedro II, em 14 agosto de 2017. Houve um período de adaptação e as autuações começaram em no dia 1º de setembro.

Relacionadas