segunda, 18 de janeiro de 2021

Campina Grande
Compartilhar:

São João de Campina Grande deve arrecadar R$ 170 milhões

Giovannia Brito / 15 de maio de 2016
Foto: DIVULGAÇÃO
Faltando apenas 20 dias para o Maior São João do Mundo Campina Grande vive a expectativa de realizar uma das melhores edições do evento. A coordenação da festa estima que o impacto econômico gerado pelo São João seja superior a R$ 170 milhões, e que mais de um milhão de pessoas curtam os festejos da Rainha da Borborema durante os 31 dias.

O setor de Desenvolvimento Local da Prefeitura prevê que somente os turistas devam gastar mais de R$ 48 milhões. O otimismo para realizar uma das edições mais fortes tem vários fatores. Um deles é a alta do dólar que tem feito com que os turistas deixem de viajar para o exterior e incluam nas suas bagagens pacotes nacionais.

Para o coordenador de Desenvolvimento Local, Rosalvo de Meneses Filho, outro fator que deverá colaborar para que Campina Grande receba um número a mais de turistas é a decisão de prefeitos de várias cidades de cancelarem os festejos. “Influenciados pela crise financeira, muitos municípios do Nordeste tomaram a decisão de não gastarem com festas e isso vai ocasionar uma vinda a nossa cidade, já que o nosso São João é conhecido até internacionalmente”, declarou.

O município, através de uma pesquisa, estima que os gastos dos turistas nos hotéis, motéis, pousadas e casas alugadas durante a festa deverá ser superior a R$ 16 milhões.

Ele apontou que o Imposto Sobre Serviço (ISS) deverá crescer 10% com a realização da festa. “Isso significa mais de R$ 1,5 milhão em arrecadação para o município”, explicou. Campina Grande deverá gastar cerca de R$ 10 milhões com a festa. Desse total, 60% será bancado pela Prefeitura e o restante por patrocinadores.

Quadrilhas investem R$ 1,4 mi

Esse impacto econômico de mais de R$ 160 milhões, previsto pela Prefeitura, será gerado por uma série de setores que movimentam o evento. Um deles, e um dos mais tradicionais dos festejos da Rainha da Borborema, são as quadrilhas juninas, atividade que movimenta significativamente a economia local com suas apresentações durante o evento. Juntas, as 12 quadrilhas que integram a Associação Campinense de Quadrilhas Juninas de Campina Grande e Região do Agreste (Asquaju-CG), estarão investindo mais de R$ 1,4 milhão para mostrarem seus espetáculos.

O presidente da Associação, Maximino Ferreira de Lima Filho, informou que esses grupos precisam de toda uma estrutura de profissionais para se apresentarem. Uma única quadrilha chega a envolver 200 pessoas. “Elas ocasionam uma movimentação intensa na economia criativa, resgatando profissionais como costureiras, sapateiros , aderecistas, bandas de forró, marceneiros, maquiadores, motoristas, figurinistas, entre outros”, explicou.

Lima Filho ressaltou que a movimentação das quadrilhas ocorre praticamente quase o ano inteiro, o que acaba gerando emprego e renda, principalmente no mês de junho. “A quadrilha Tradição da Serra vai gastar apenas com costura das roupas das meninas, cerca de R$ 12 mil, isso sem contar a comprar de tecidos, arranjos, aviamentos e outros”, frisou.

 

Relacionadas