quinta, 13 de maio de 2021

Campina Grande
Compartilhar:

Comissão de vereadores de Campina Grande visita asilo após denúncias de maus tratos

Fernanda Figueiredo / 02 de outubro de 2015
Foto: Chico Martins
A Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal de Campina Grande recebeu denúncias de que o Centro de Assistência e Humanitário A Casa “Irene Modesto Conserva”, que funciona no bairro Jardim Paulistano, estaria maltratando idosos e funcionando de forma precária. O abrigo possui aproximadamente 200 idosos em dois prédios alugados. Segundo o gerente Claudemir Conserva, 62 pessoas desse total foram abandonadas pelos familiares. O abrigo se mantém por meio das aposentadorias dos internos. A equipe de reportagem do Jornal Correio esteve no local e constatou falta de higiene, estrutura precária e idosos sem acompanhamento.

“Pelo amor de Deus, me tirem daqui, esse lugar é um inferno. Têm muitos loucos, pessoas sem assistência, sem família. Sou doente e as cuidadoras gritam comigo, dizem que quero aparecer. Aqui é sujo, nojento, nem bicho vive desse jeito. Eu tenho casa, não preciso passar por isso. Minha filha me chamou para ver a Virgem dos Pobres e me deixou aqui”, disse a aposentada Maria Mamede da Silva Anselmo, de 70 anos, deixada há oito dias no Centro de Assistência pela filha Maria da Penha da Silva Anselmo.

O vereador Napoleão Maracajá, do PC do B, integrante da comissão que visitou o abrigo no início da tarde de ontem, constatou irregularidades nos dois prédios que abrigam os idosos e disse que um relatório será feito e enviado ao Ministério Público e demais órgãos competentes para que a situação seja resolvida.

Leia mais no jornal Correio da Paraíba

Relacionadas