segunda, 11 de novembro de 2019
Campina Grande
Compartilhar:

Casas para crianças com microcefalia

Wênia Bandeira / 12 de novembro de 2016
Foto: Chico Martins
As mães de crianças com microcefalia podem se inscrever para ter direito a moradia no Complexo Aluízio Campos, em Campina Grande. Elas não precisam passar por sorteio e o cadastro já foi iniciado. Nessa sexta-feira (11), no miniteatro Paulo Pontes, o prefeito Romero Rodrigues apresentou a proposta às interessadas e iniciou o cadastramento.

“Todas as mães de bebes com microcefalia que não possuem residência terão acesso ao direto sem sorteio. Esta foi uma clausula que acrescentamos para que elas possam ter mais um benefício”, falou o prefeito.

De acordo com ele, todas as casas já foram planejadas visando este incremento. Romero explicou que as residências estão sendo construídas com características de acessibilidades.

“Cada casa vai se adequar a cada deficiência. Então se a criança tem uma deficiência visual, a casa terá barras e toda a acessibilidade necessária e assim por diante em cada problema que essa criança apresentar”, salientou.

A Prefeitura entrou com uma contrapartida de 30 milhões de reais, o que significa 10% do total de investimento feito pelo Governo Federal no local, que soma 300 milhões reais. As quatro mil e 100 casas estão sendo construídas em uma área de 100 hectares e terá três creches, duas escolas, dois postos de saúde, dez praças, sendo duas delas com academia e um Centro de Referência da Assistência Social (Cras).

Jucilucia Barros de Lima, 35 anos, é uma das contempladas. Segundo ela, a vida terá menos dificuldade, já que seu filho, Cauã Fabrício, 1 ano e cinco meses, apresenta problemas de visão e de locomoção.

“Eu como mãe identifico que ele enxerga, mas é muito baixa a visão e não se senta sem apoio, não anda. Se fosse uma criança normal já estaria correndo”, falou.

Relacionadas