sexta, 27 de novembro de 2020

Cidades
Compartilhar:

Cresce 80% o número de jovens infectados com o vírus da Aids na Paraíba

Wênia Bandeira / 01 de dezembro de 2015
Foto: Rafael Passos
“Ele não tinha cara de doente”, argumenta um menina de 16 anos, infectada com Aids pelo namorado, que morreu logo depois. O número de jovens com Aids na Paraíba quase dobrou este ano. De acordo com a Secretaria do Estado de Saúde (SES), o número de pessoas na faixa etária entre 15 e 29 anos que contraíram o vírus HIV passou de 140 para 252, de 2014 e 2015, um aumento de 80%. Cresceu também a participação deles na população total com a doença (hoje são 27,1%). Apesar de levar uma vida aparentemente normal, eles sofrem com o tratamento.

De acordo com a gerente operacional de DST, Aids e Hepatites Virais, Ivoneide Lucena, o aumento se deve principalmente à forma como a doença está sendo vista ultimamente. “A doença não mata mais, o remédio é gratuito e prolonga a vida, mas tem efeitos colaterais que podem ir da diarréia constante a problemas cardíacos”, explicou Ivoneide, completando que “se o jovem fosse informado destes problemas que acontecem, eles certamente teriam mais cuidado”.

O coquetel, entregue gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), pode causar ainda problemas neurológicos, como falta de memória, excesso de sono e alucinações, entre outros efeitos.

Para Ivoneide Lucena, os doentes não têm mais a magreza e os demais aspectos da doença, o que estaria acalmando os jovens tanto para ter e se tratar, quanto para confiar no parceiro. “Quando eles começam a namorar, usam o preservativo regularmente, mas depois que cria confiança, a primeira decisão é parar de usar”.

Leia mais no Jornal Correio da Paraíba.

Relacionadas