segunda, 25 de janeiro de 2021

Água
Compartilhar:

Transposição inacabada ameaça chegada das águas do São Francisco ao Boqueirão

Redação com assessoria / 31 de março de 2017
Foto: Divulgação
As obras de transposição do Rio São Francisco estão inacabadas na Paraíba e isso se revela como uma ameaça a chegada das águas ao açude Epitácio Pessoa, em Boqueirão. A afirmação é do Ministério Público Federal (MPF), em Monteiro, que fez uma fiscalização e constatou vários itens que merecem atenção das autoridades.

Em nota enviada à imprensa, o MPF afirma que a transposição ainda está em fase de pré-operação e, portanto, em fase de testes. "As obras de adequação necessárias nas barragens Poções, Camalaú e Boqueirão não foram concluídas, bem como não foram elaborados os planos de ação de emergência e/ou de contingência para acidentes", informa o documento

Outro problema constatado pelo MPF diz respeito a qualidade de água. Segundo demonstrado durante a fiscalização, não há como precisar se a água é de qualidade e está apropriada para o consumo humano sem um estudo técnico e sem o devido tratamento.

Mas o problema que coloca em risco a chegada da água ao Boqueirão está na vazão. Conforme o MPF, não existe clareza de informação acerca da vazão da água fornecida pela transposição que passa pelos canais e Rio Paraíba, no Cariri paraibano. "A irregularidade da vazão da água que percorre o rio Paraíba, especialmente no trecho Poções-Camalaú, aponta para a precariedade na gestão do sistema. A falta de revitalização do Rio Paraíba prejudica a sustentabilidade da condução da água até o açude de Boqueirão, que abastece Campina Grande e região ", confirma a nota.

Outro fator que compromete a chegada da água em Boqueirão é o assoreamento do Rio Paraíba e outros fatores como evaporação, infiltração e captação irregular que contribuem para dificultar ainda mais a chegada da transposição no local, informa o MPF.

O Ministério confirma o alerta já dado em reportagem publicada pelo Correio Online. O do perigo do banho nos canais e no rio.  "Diante do cenário de incertezas, o MPF alerta a população para que evite banhos nos canais da transposição e no leito do rio Paraíba; não utilize água sem outorga dos órgãos competentes; não pratique atividades de extração mineral sem as devidas autorizações; e, em caso de rompimento de barragens ou canais, cumpra as orientações dos órgãos de defesa civil".

Relacionadas