sexta, 22 de janeiro de 2021

Água
Compartilhar:

Transposição do São Francisco na PB pode atrasar

Érico Fabres / 05 de março de 2017
Foto: Divulgação
O vazamento da Barragem Barreiro, localizada no município de Sertânia, em Pernambuco, foi estancado na madrugada de sábado, sem maiores estragos na região. Porém, quem pode ser afetado com isso é a Paraíba, já que a chegada das águas da Transposição do São Francisco a Monteiro, marcada para dia 9 de março, não está mais garantida. O Ministério da Integração Nacional afirmou estar avaliando a situação, mas não descartou o adiamento. A TV Correio esteve no local e comprovou o conserto, porém ninguém do consórcio concedeu entrevista.

Autoridades do governo foram avisadas na sexta-feira pela manhã que o açude Barreiros apresentou um considerável vazamento, que causou o desligamento de duas estações de bombeamento (EBV-5 e EBV-6), no eixo leste da Transposição do Rio São Francisco. As avaliações técnicas realizadas não apontaram risco estrutural ao reservatório. As causas do vazamento ainda não foram identificadas, mas equipes continuam na área monitorando e fazendo análises.

Técnicos das empresas responsáveis pelas obras na região trabalharam durante toda a noite para fechar o vazamento, que durou quase 24 horas e especula-se tenha resultado em uma perda de água de 30% do total do reservatório, que tem capacidade de 2.612.000 m³, comprimento de 1,91 quilômetro, largura máxima de 0,97 quilômetro e profundidade máxima de 14,39 metros.

As obras do reservatório Barreiro foram iniciadas em março de 2014 e finalizadas em setembro de 2015. O início do enchimento se deu em 25 de fevereiro deste ano e a saída das águas pela estrutura de controle aconteceu no dia 27 do mesmo mês, totalizando dois dias de enchimento.

População alertada

Em nota, o ministério afirmou que imediatamente após a identificação do vazamento, técnicos da área Ambiental e de Fiscalização do Projeto foram pessoalmente – de casa em casa – alertar os moradores de comunidades no entorno sobre as medidas de segurança. De forma preventiva, as equipes também providenciaram a remoção de cerca de 60 famílias de 10 comunidades para áreas seguras. Um ginásio, uma escola municipal, um salão paroquial e o canteiro de obras do Projeto São Francisco, todos na comunidade Rio da Barra, estiveram disponíveis para abrigar temporariamente as famílias;

Além do alojamento, foram providenciados kits de ajuda emergencial contendo colchonetes, material de higiene e mantimentos, dentre outros itens.

 

Relacionadas