quarta, 17 de outubro de 2018
Água
Compartilhar:

Eixo-norte da transposição completa seis anos de atraso

Wênia Bandeira / 14 de setembro de 2018
Foto: Reprodução
As obras do Eixo Norte da Transposição do Rio São Francisco já contabilizam seis anos de atraso na entrega. Segundo a previsão inicial do Ministério da Integração Nacional (MIN), o Sertão paraibano deveria estar recebendo a água desde 2012, mas o órgão aponta a complexidade da arquitetura como motivo para a demora. Esta parte da Transposição atenderá, na Paraíba, as cidades de Monte Horebe, São José de Piranhas e Cajazeiras.

“Por ser uma obra linear, o projeto passa por diferentes ambientes geológicos, geomorfológicos e interfere em estruturas já existentes - rodovias, ferrovias, linhas de transmissão e de distribuição de energia e aglomerados rurais e urbanos -, o que exige constante análise e acompanhamento”, diz nota encaminhada pelo MIN ao CORREIO.

Ainda segundo a nota, a obra é semelhante a outras transposições no mundo, como na China, Espanha e Egito, em que a conclusão dos empreendimentos foi superior a dez anos. O Eixo Norte foi iniciado em 2007.

O Ministério informou que a obra está 96% finalizada. Ainda segundo o MIN, hoje, a etapa 1N possui frentes de serviço com turnos 24 horas para garantir o cronograma de entrega até o final do ano e os trechos 2N e 3N registram mais de 98% de avanço físico.

“As águas do São Francisco já avançam por 80 quilômetros de canais do Eixo Norte - desde a captação, em Cabrobó (PE), até a terceira estação de bombeamento (EBI-3), em Salgueiro (PE)”, acrescenta a nota.

São cerca de 12 mil moradores em comunidades rurais nos municípios de Cabrobó e Terra Nova, em Pernambuco, que recebem as águas desde novembro de 2017, o eixo já atende mais. No entanto, o objetivo final é atender 12 milhões de pessoas em 390 municípios de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte.

O projeto consiste em nove estações de bombeamento, 27 reservatórios, 13 aquedutos, nove subestações de 230 quilowatts, 270 quilômetros de linhas de transmissão em alta tensão e quatro túneis. Na implantação dos eixos Norte e Leste do Projeto de Integração do Rio São Francisco foram investidos até agora quase R$ 10 bilhões.

Bombeamento paralisado

O bombeamento de água para o Eixo Leste está paralisado na Paraíba para desde o dia 20 de março, quando foi desligado para realização das obras em Poções, na cidade de Monteiro, e Camalaú. O açude Epitácio Pessoa, em Boqueirão, vem perdendo carga de água desde então.

Em um mês, o manancial já perdeu mais de 7,2 milhões de metros cúbicos. Está sendo retirada água para abastecimento de Campina Grande e outras 17 cidades, além de carga para as barragens de Acauã e Araçagi, através das comportas abertas.

Questionado sobre o assunto, o Ministério afirmou que a região continua recebendo a Transposição. “Mas é importante destacar que as intervenções não comprometem o abastecimento de água a mais de um milhão de pessoas em 33 municípios nos estados de Pernambuco e da Paraíba”, diz a nota.

O MIN foi perguntado pelo CORREIO a respeito de previsão para encerramento da obra e retomada do bombeamento de água para Boqueirão. Segundo o órgão, a obra será finalizada ainda em setembro, seguindo decisão tomada em reunião entre o Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) e o Ministério Público Federal da Paraíba (MPF-PB).

“A decisão leva em conta a complexidade das intervenções para recuperação e modernização das estruturas. Em Poções, por exemplo, os serviços incluem montagem de tubulação, instalação de equipamentos hidromecânicos e a ampliação do vertedouro. Já em Camalaú, esta segunda etapa dos trabalhos requer a aquisição e instalação de equipamentos hidromecânicos”, afirmou.

O Diretor do Dnocs no Estado, Alberto Gomes, confirmou que a obra deve ser entregue até o fim do mês. Ele ainda salientou que, mesmo com o trabalho ainda sendo realizado, é possível reabrir a passagem da água.

“A obra está 80% concluída, mas mesmo assim já está apto para receber a água. Depende apenas do Ministério da Integração reabrir a passagem”, afirmou o diretor. Ele confirmou que a Transposição está paralisada na área.

Relacionadas