sexta, 21 de setembro de 2018
Água
Compartilhar:

Açude de Boqueirão não vai mais enviar água para Acauã

Wênia Bandeira / 19 de abril de 2018
Foto: ANTÓNIO RONALDO
O Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) decidiu fechar as comportas do açude Epitácio Pessoa, em Boqueirão, que mandava água para Acauã. O manancial já recebeu 4,9 milhões de metros, 100 mil a mais do que estava planejado. A Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa) é contra esta decisão.

O diretor geral do Dnocs, Alberto Gomes, explicou que a menos que a Agência Nacional das Águas (ANA) emita outra outorgo, as comportas serão fechadas. O Plano de Defluência e Descarga de Água, aprovado pela Ana e pela Aesa e comunicado ao Dnocs, tinha previsão de vigorar por 59 dias.

“A que estamos seguindo se vence hoje com o objetivo alcançado. A vazão foi muito grande e conseguiu atingir o objetivo muito antes. A capacidade da dispersora era de 2,3 m3/s em cada uma das duas tubulações, ou seja, foram entregues o dobro do que estava planejado”, detalhou.

O presidente da Aesa, João Fernandes, falou que o plano era entregar para Acauã dois mil litros, durante 13 dias, e depois baixar para 800 litros diários, o que aconteceria em 59 dias. As comportas foram abertas há 28 dias, em 22 de março.

“Resolvemos tirar 10% para que Acauã começasse a fazer captação d’água para abastecimento, soltamos a quantidade e a mãe natureza completou a tarefa. Mas se um açude que tinha 42 milhões quando abriu as comportas, hoje tem 130 milhões de metros cúbicos, porque temos que parar de entregar esta água?”, questionou o presidente da Aesa.

Ele acredita que Boqueirão e a transposição podem ajudar muito mais a Acauã. Segundo João Fernandes, não está suficiente e o Departamento Nacional de Obras Contra as Secas não tem autonomia para tomar esta decisão, já que cumpre determinações feitas pelas Agências.

“Eles descumpriram o plano, aumentaram a vazão e agora fecham as comportas. Isto será tema de reuniões que teremos. Nós vamos questionar o Dnocs sobre isso”, afirmou. Ontem, a água do São Francisco completou um ano do dia que encontrou com a água de Boqueirão, mas atualmente a transposição está parada para que as obras em Poções e Camalaú sejam concluídas.

Relacionadas