sábado, 20 de outubro de 2018
Cidades
Compartilhar:

AEMP vai realizar Casamento Comunitário em mangabeira nesta quinta-feira

Kubitschek Pinheiro / 21 de março de 2018
Foto: Divulgação
A Associação das Esposas dos Magistrados e das Magistradas da Paraíba (Aemp) realiza nesta quinta-feira (22), às 16h, o primeiro casamento comunitário da atual gestão da Aemp, que tem à frente a psicóloga Ana Lucia Alencar Pereira. A ação tem parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social do Município de João Pessoa (Sedes) e a Associação de Notários e Registradores da Paraíba (AnoregPB), cujo presidente o tabelião Germano Toscano de Brito. O evento será no Centro Cultural de Mangabeira.  Setenta casais vão dizer sim ao juiz Hermance Gomes e receber a certidão da união.

A ideia surgiu a partir da necessidade observada pelas coordenações dos Centros de Referências da Prefeitura (Cras), que atendem usuários com vulnerabilidades sociais. A Sedes, por sua vez, fez a captação documental e intermediou as parcerias, com a Aemp, AnoregPB e o Cartório Azevedo Bastos.

Para a presidente da Aemp, Ana Lúcia Alencar Pereira, essa era uma ação buscada desde o início da sua gestão. “Buscamos proporcionar um momento único de celebração do sacramento matrimonial e, minimamente, incrementar a felicidade natural da união de vários casais”, refletiu.

Para o presidente da AnoregPB, essa ação é de grande importância. “Exatamente porque vai oficializar a vida dos casais e nossa associação através da Organização Raris – Rede Social de Responsabilidade  Social está junto nesse projeto da presidente da Aemp, que vem fazendo um trabalho valoroso”,  disse Toscano.

Segundo Neusa Lutfi, assessora Jurídica da Diretoria de Assistência Social da Secretária de Desenvolvimento Social, “a iniciativa para captação dos usuários, que pretendem contrair matrimônio civil com recebimento de documentação e cadastro em plataforma digital disponibilizada pelo cartório Azevedo Bastos, foi intermediada pela AnoregPB, Aemp e várias empresas privadas (floristas, aluguel de vestidos de noivas, bolo de noivas), que, juntos, sediarão o matrimônio e toda a logística do evento”.

O secretário Eduardo Pedrosa considerou a iniciativa muito importante, por legalizar a situação de muitos casais que estão juntos há anos, mas sem o documento civil. “Esse trabalho é fundamental. Realizar os casamentos comunitários, cujo casais precisam dessa certidão que é muito relevante”, disse Eduardo.

Relacionadas