sexta, 15 de janeiro de 2021

Cidades
Compartilhar:

Aemp entrega à ONG Apôitchá, de Lucena, alimentos arrecadados na Cantata de Natal

Redação com Kubitschek Pinheiro / 20 de dezembro de 2017
Foto: Divulgação
A Associação das Esposas dos Magistrados e das Magistradas da Paraíba (Aemp) realizou na manhã dessa terça-feira (19), a entrega de meia tonelada de alimentos à ONG Apôitchá, no município de Lucena. Os alimentos entregues à Apôitchá foram doados pelo público que prestigiou a Primeira Cantata de Natal, promovida pela Aemp, na noite da última quinta-feira (14), na fachada do Tribunal de Justiça da Paraíba, que apoiou o evento.

De acordo com a presidente da Associação, Ana Lúcia Alencar Pereira, a doação de alimentos arrecadados durante o evento tem um valor especial para a entidade. “Para a Aemp, essa realização da Primeira Cantata Natalina serviu para fechar um ano de muito trabalho social. Nossa instituição teve um 2017 marcado por uma procura de uma nova forma de atuação, sempre voltada para a consolidação do ‘caminhar solidário’, expressão que denota nossa intenção de manter constantemente um meio de propagar a ajuda ao próximo.”, refletiu.

E acrescentou: “E justamente a Cantata revelou muito bem essa ideia, pois proporcionou não apenas a doação para a Apôitchá, mas também serviu como meio educativo para que crianças de escolas públicas se envolvessem com uma rotina de atividade extraclasse, agregando educação que transcende o aprendizado de matérias dentro de sala, e que passa para uma lição de vida".

A Primeira Cantata da Aemp, que reuniu um público de mais de mil pessoas, terá sua segunda versão em 2018. “Nós já vamos trabalhar nesse projeto a partir do começo do ano. Será uma alegria bem maior a segunda Cantata de Natal”, disse Ana Lúcia Alencar Pereira.

A juíza titular da Comarca de Lucena, Graziela Queiroga Gadelha de Sousa, que estava presente à ação da Aemp, considerou a iniciativa da maior importância. “A Aemp, nesta gestão, tem desenvolvido ações com esse cunho social, que muito tem alegrado, não só a nós juízas, mas a todos que de alguma maneira acabam sendo alcançados por esse exemplo de solidariedade. Então, a nossa ONG, aqui de Lucena, que atende a mais de cem crianças, recebendo meia tonelada de alimentos, penso que, por mais de seis meses, com certeza, garantirá as refeições da criançada. A gente espera que essas ações permaneçam, que elas continuem, que não fique só nessa gestão, mas que possa se perpetuar”, concluiu a magistrada, que está na comarca há dez anos.

Relacionadas