quarta, 20 de janeiro de 2021

Aedes
Compartilhar:

Surto do Aedes pode afetar 88 municípios na PB

Redação com assessoria / 23 de março de 2017
Foto: Divulgação
Oitenta e oito municípios paraibanos estão em situação de risco para a ocorrência de surto do mosquito Aedes aegypti e outros 95 estão condição de alerta. As informações são do último Levantamento de Índices Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), coletadas entre 30 de janeiro até 3 de fevereiro deste ano, e foram divulgadas ontem pela Secretaria Estadual de Saúde (SES).

De acordo com o boletim, dos 222 municípios do Estado, somente 39 estão em situação satisfatória e destes, 12 apresentam Índice de Infestação Predial (IIP) zero. Considerando os IIP de acordo com Classificação de Risco apontado pelo LIRAa/LIA, foi realizada aplicação de UBV Pesado (Carro Fumacê) em 54 municípios. No 1º Ciclo/2017, foram realizadas 1.133.649 visitas domiciliares por 222 municípios paraibanos, como parte das estratégias de controle do Aedes aegypti no Programa de Enfrentamento a Microcefalia-PNEM. Apenas o município de Cacimba de Dentro não realizou as atividades previstas para o período.

A gerente executiva de Vigilância em Saúde da SES-PB, Renata Nóbrega, informou que as ações da SES, incluindo a participação de 350 homens do Exército, no combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e Chikungunya serão intensificadas este ano e que a pasta deverá realizar mais três LIRAa. “Daremos orientações como evitar usar pratos nos vasos de plantas, guardar garrafas com o gargalo virado para baixo, manter lixeiras tampadas, ralos fechados e desentupidos, evitar acumular entulhos, entre outros”, pontuou.

Caem notificações de dengue e Chikungunya

O boletim divulgado ontem pela SES mostrou ainda que houve queda no número de notificações de dengue e Chikungunya. No período de 3 de janeiro a 11 de março deste ano foram notificados 454 casos de dengue, contra 20.647 no ano passado, uma redução de 97,8%. Quanto às notificações de suspeita de chikungunya, o decréscimo foi de 94,6%, com 139 casos registrados neste ano contra 2.576 no ano passado.

“A SES salienta aos gestores municipais o alerta para a importância da notificação diante de casos suspeitos de dengue, zyka e chikungunya. Esta sinalização é uma forma de manter os profissionais de saúde em alerta para o agravo, contribuindo para desencadear ações de assistência à saúde, vigilância epidemiológica e ambiental”, observou Renata Nóbrega. Ela lembrou ainda que a chikungunya foi confirmada pela primeira vez na Paraíba em dezembro de 2015, e, por isso, a população está susceptível ao agravo.

Com relação ao zika vírus, foram 25 casos notificados, entre 3 de janeiro a  11 de março de 2017.

Óbitos – Até a 10ª Semana Epidemiológica foram notificados três óbitos com suspeita de causa por dengue, sendo um em Bayeux, outro em Conceição e outro em João Pessoa. Os óbitos com suspeita devem ser informados imediatamente, ou seja, no período de 24 horas, conforme Portaria 204 de 17 de Fevereiro de 2016.

Relacionadas