segunda, 17 de junho de 2019
Assalto
Compartilhar:

Dois bancos são explodidos na madrugada desta quarta-feira no sertão e no litoral

Luís Eduardo Andrade / 22 de março de 2017
Foto: Reprodução
E o “novo cangaço” ataca novamente. Os criminosos que se especializaram em arrombamentos e explosões de bancos e agências dos correios fizeram, na madrugada desta quarta-feira (22), mais uma cidade de interior como vítima: Junco do Seridó, que fica a 242 quilômetros de João Pessoa. E o litoral também não escapou dos criminosos. Em Cabedelo, um caixa eletrônico foi violado na mesma madrugada.

O amigo leitor deve estar cansado de ler praticamente as mesmas matérias sobre este assunto, mas é que de fato, os assaltantes encontraram uma fórmula para conseguir roubar muito dinheiro e de quebra, sair impunes. E o roteiro é sempre o mesmo: os suspeitos fortemente armados explodem as agências bancárias e dos correios, e na fuga disparam contra efetivos da Polícia e fogem livremente.

E em Junco do Seridó não foi diferente. Os assaltantes chegaram à cidade por volta de 1h da manhã, explodiram a agência do Banco do Brasil da cidade, e fugiram atirando para cima. A Polícia Militar não soube informar se os suspeitos conseguiram levar o dinheiro, mas acredita que o assalto foi bem sucedido, vide a “comemoração” dos mesmos ao se evadirem da cidade. A Polícia Civil realizou perícia no local do crime, mas até o fechamento dessa reportagem, nenhum suspeito foi identificado ou preso.

Cabedelo

Já em Cabedelo, a história foi um pouco diferente. Os acusados agiram em surdina e sem a ajuda de explosivos. Eles violaram um caixa eletrônico da agência do Banco do Brasil, que fica na BR-230. De acordo com a PM, o grupo fugiu em direção a João Pessoa, mas até agora nenhum suspeito foi encontrado. Segundo a Polícia Civil, as imagens do circuito interno de monitoramento da agência devem ajudar nas investigações.

Balanço

De acordo com o Sindicato dos Bancários da Paraíba, apenas em 2017 foram registradas 15 ocorrências de crimes envolvendo bancos, sendo nove em cidades do interior do estado. O número preocupante escancara o amadorismo da segurança pública nas cidades de interior, que desamparadas pelo Estado, dependem das próprias forças para lutar contra o crime organizado.

Cidadãos no prejuízo

Depois de tantos assaltos e explosões, as agências bancárias estão fechando suas portas. As cidades de Areia e Conceição são exemplos das cidades que sofrem com essa atitude. E com os bancos fechados, os moradores ficam impossibilitados de sacar dinheiro e fazer compras, o que vem esfriando a economia de diversas cidades.

Relacionadas