quarta, 24 de fevereiro de 2021

Acidentes
Compartilhar:

Campina Grande tem quase 13 acidentes por dia

Wênia Bandeira / 16 de agosto de 2017
Foto: Reprodução
Campina Grande registrou uma média de 12,6 acidentes por dia em 2016, totalizando 4.600 casos notificados. A informação é do boletim da Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos (STTP) divulgado nesta terça-feira (15) e que motivou uma operação em locais com maior incidência. A maior avenida da cidade, a Floriano Peixoto, é a mais perigosa, com 345 ocorrências, quase uma colisão diária.

Segundo a STTP, as rotatórias são locais de riscos. O superintendente Félix Neto explicou que as causas vão desde a entrega de habilitação a condutores que não estão realmente preparados para dirigir até o desrespeito à Legislação de Trânsito.

“Começamos então afazer um rodízio de agentes pelos locais. A presença do agente pode diminuir este número porque, além de estarem coibindo as infrações, estão lá para mostrar que são os pontos letais da cidade”, falou.

Os acidentes tiveram 3.300 vítimas entre mortos e feridos que precisaram de atendimento médico. Os lugares, que repetem ano após ano e a incidência estão aumentando. “A gente torce para que o trabalho que estamos realizando seja suficiente. Se conseguir manter já é uma vitória porque estamos com 5% de aumento anual, então estamos tentando estancar”, acrescentou. A operação ‘Mais Vidas’ começou na segunda-feira a presença ostensiva de 60 agentes pelos corredores.

Nas rotatórias, os casos são praticamente diários. As pessoas que trabalham nos cruzamentos mais violentos quando se fala em trânsito já testemunharam acidentes e viram mortes acontecer. O carroceiro Marcone Pereira trabalha no cruzamento da Avenida Dinamérica com Almirante Barroso e presenciou uma moto colidir com um carro e uma mulher falecer. “Tem sempre muita gente desrespeitando a sinalização e saindo do giradouro direto sem olhar. Eles não param”, contou. Um pouco mais a frente, no cruzamento da Dinamérica com Floriano Peixoto, o mecânico David Anderson falou que teme que carros sem controle invadam seu local de trabalho. Estes são dois dos mais perigosos cruzamentos da cidade, segundo a STTP. O relatório da Superintendência mapeou os dez com maior incidência de colisão e ainda as dez vias mais críticas de Campina Grande.

Relacionadas