sexta, 22 de janeiro de 2021

Acidente
Compartilhar:

Nada mudou em Várzea Nova um ano após acidente

Ainoã Geminiano / 02 de março de 2017
Foto: Assuero Lima
Apesar do tempo, nada mudou no cruzamento da linha férrea e o acesso a Várzea Nova, local da colisão entre um ônibus e o trem, mesmo após quase uma dezena de protestos realizados por moradores, pedindo a instalação de uma cancela, que discipline a passagem de trens e carros. Pessoas que moram e trabalham perto relataram que, meses atrás, uma situação semelhante aconteceu e o desastre não se repetiu por muito pouco.

O acidente aconteceu no final da tarde do dia 29 de fevereiro de 2016, quando o ônibus da empresa Santa Rita, que tinha saído de João Pessoa, chegava em Várzea Nova. Ao tentar cruzar a linha do trem, o motorista do coletivo parou em cima da linha porque a passagem estava obstruída por dois carros. A demora na liberação do tráfego foi suficiente para que o trem, que se aproximava do local, atingisse o ônibus ao meio. Com o impacto, seis passageiros que estavam em pé, esperando para descer logo após a travessia, foram lançados para fora do coletivo. Quatro deles morreram na hora, outro dias depois no hospital e um sobreviveu.

Vítimas

Dos seis passageiros que estavam em pé e foram lançados para fora do ônibus, com o impacto da batida, o único que sobreviveu foi o pedreiro Francisco Lourenço da Silva, de 54 anos. Ele sofreu graves ferimentos na cabeça, perdeu massa encefálica, mas conseguiu vencer o coma.

Prefeitura promete instalar cancelas

Após o acidente, em meio aos protestos feitos pelos moradores de Várzea Nova, surgiu um debate sobre a responsabilidade pela adoção de providências, para reforçar a segurança do tráfego no local do acidente. Ainda no ano passado, foi firmado o termo de ajustamento de conduta (TAC) entre a Prefeitura de Santa Rita e a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU).

O documento prevê que a prefeitura deveria comprar e instalar as cancelas, além de colocar operadores para trabalhar no local.

Ontem, o secretário de Infraestrutura da Prefeitura de Santa Rita, Adenilson Montes, disse que as cancelas foram compradas e que a instalação do equipamento começaria hoje.

“Além da instalação da cancela, vamos fazer um trabalho de requalificação da sinalização vertical e horizontal no trecho, para alertar os motoristas. Acredito que dentro de 15 ou 20 dias o equipamento estará funcionando”, disse.

Leia Mais

Relacionadas