quarta, 19 de dezembro de 2018
Ação social
Compartilhar:

Aemp leva projeto “Ensinando a Pescar” para o Presidio Júlia Maranhão

Kubitschek Pinheiro / 04 de abril de 2018
Foto: Divulgação
O “Projeto Ensinando a Pescar” implantado na atual gestão da Associação das Esposas dos Magistrados e das Magistradas da Paraíba (Aemp), chega neste mês de abril ao “Presídio Júlia Maranhão”, no bairro de Mangabeira. O objetivo principal é promover cursos profissionalizantes para adolescentes que cumprem medidas socioeducativas e a comunidade carente da capital.


Grupo de dez reeducandas do “Júlia Maranhão” estão participando de “Curso de Compotas de Doces”, ministrado pela chef Adriana Cavalcanti, cujas aulas acontecem uma vez por mês – às segundas-feiras, com duração de cinco horas até o final do ano.


“A difusão do ´Projeto Ensinando a Pescar´ para fora do espaço da entidade dá a esperança e fé de que esse novo modelo de ´doação´, doação de conhecimento e de perspectiva futura digna, seja abraçado por toda a população”, disse a presidente da Aemp Ana Lúcia Alencar Pereira. E acrescentou: “Quem sabe grandes empresas, que destinam parte de seus lucros para a filantropia, possam igualmente se reunir e juntar forças para promover igualmente essa doação efetiva de esperança num futuro melhor”.


O juiz Carlos Neves da Franca, titular da Vara de Execução Penal de João Pessoa ressaltou a importância dessa nova ação da Aemp. “Esse curso é alento de esperança para quem cumpre uma pena e está com sua liberdade restrita. É o trabalho, a educação e a oportunidade de um futuro melhor. Por isso mesmo ninguém faz nada sozinho”, disse o magistrado.


A chef Adriana que sempre atua em trabalhos sociais, abraçou o convite da Aemp e promete bons resultados nessa nova missão: “Na verdade eu sempre gosto de atuar no social, aliado ao meu trabalho de gastronomia. Para mim é um prazer passar conhecimentos e é também uma forma de ajudar ao projeto da Aemp, com as reeducandas. Vamos ter essa demanda até o final do ano e vai ser muito bom”, avaliou a professora


A diretora do presidio, Mirtes Daniel, presente a reunião relatou ser muito positiva a iniciativa da Aemp. “Sei que as esperanças se renovam a cada projeto que a gente concretiza. Essa será mais ação uma proveitosa”, disse


“Esse é o grande sonho da Aemp para o Projeto ´Ensinando a Pescar´, tomar vida própria e ser um modelo de nova forma de doação, muito mais humanizada, mais efetiva e de muito mais valia para nossa sociedade por inteiro”, arrematou Ana Lúcia.

Relacionadas