quarta, 26 de setembro de 2018
São João
Compartilhar:

Noite de Elba: cantora se apresenta nesta quinta-feira em Campina Grande

Wênia Bandeira / 23 de junho de 2016
Foto: Divulgação
A paraibana Elba Ramalho se tornou tradição no dia 23 de junho, no Maior São João do Mundo. Já são 36 anos de carreira, 33 discos lançados e mais de 30 apresentações na noite do santo junino mais importante. “É sempre uma alegria muito grande, mas é uma responsabilidade também. Já se tornou uma tradição e quero sempre apresentar o que eu tenho de melhor”, disse a cantora.

Para Elba cantar em Campina Grande é mais entusiasmante que em outros lugares. “Eu me identifico muito com a cidade e tenho uma memória afetiva muito forte. Não perdia uma festa, sempre gostei muito dos festejos”, disse.

E para a apresentação de hoje, Elba diz que terá algumas surpresas que ainda não pode contar, mas está preparando um show para não deixar ninguém parado. “Posso dizer que terá Gonzagão e Dominguinhos. Os nossos grandes mestres”.

A cantora ainda manda o seu recado para os fãs: “Divirtam-se muito, procurem lembrar da origem da festa e preservar o São João como uma festa realmente popular”.

Com Geraldinho Lins

Eles já cantaram juntos por diversas vezes como, por exemplo, na música Xote da saudade. De acordo com o pernambucano Geraldinho Lins “seria mágico poder dividir o palco com Elba, hoje. “Se houver esta possibilidade, seria uma honra”.

São 26 anos de carreira e e cinco vezes figurando na programação da festa, considerada por Geraldinho um ápice na carreira de qualquer artista.

“O público da cidade valoriza seus artistas e, por isso, vai com a expectativa de ouvir a boa música para poder dizer que foi para o São João de Campina Grande. É para onde os olhares de todo o mundo se voltam nesta época do ano. É uma grande referência no mundo inteiro. Além de ser prazeroso para o artista por causa da superestrutura, do camarim ao som. É um cuidado que há em receber os artistas e o público”.

Para Geraldinho, este cuidado que é dispensado com os artistas dá uma responsabilidade maior, principalmente quando a apresentação é na véspera de São João. “É mais um agravante, no bom sentido. Dá um nervosismo em qualquer data, mas na véspera, aumenta a carga. Fico louco que aconteça logo”.

A rixa

E o pernambucano não podia elogiar os festejos paraibanos sem falar do que acontece em sua terra natal. “É uma guerra saudável, uma rixa no bom sentido, que acaba contemplando a todos nós, artistas e turistas. Favorece as cidades, tanto Campina Grande, quanto Caruaru, com relação à economia”.

E relembrando o estado onde nasceu, o cantor se diverte ao pensar nas fogueiras, lampiões, comidas típicas de Serra Talhada, Garanhuns e Caruaru, cidades onde morou na infância e adolescência. “No interior, ainda percebo muitos sinais legais da festa junina, como rezar para os santos ea festa da chuva que vem alegrar o sertanejo”.

Mas ele promete que hoje toda essa mistura estará presente em seu show. “Vamos fazer uma exaltação ao São João, com romantismo, tradição, arrasta-pé e alegria. Tocar para 100 mil pessoas é um grande prêmio”. E para esta multidão, Geraldinho manda o seu recado: “Aproveitem a festa para manter a cultura, distribuída em vários seguimentos, como a comida, a tradição, a religiosidade. E espero que eu possa dar uma grande contribuição para que isso aconteça”.

Leia Mais

Relacionadas