quinta, 14 de dezembro de 2017
Política
Compartilhar:

Tribuna da ALPB vira palanque para pré-candidatos

Adelson Barbosa dos Santos / 18 de agosto de 2017
Foto: Divulgação
A sessão desta sexta-feira (18) foi uma verdadeira demonstração de como será a campanha do próximo ano. Parlamentares de oposição iniciaram o ‘comício’. Elisa Virgínia (PSDB) foi à tribuna atacar o governador Ricardo Coutinho por causa de uma Medida Provisória (MP) que cria a Guarda Militar Temporária para reforço da segurança pública.

Segundo ela, o governador tenta “desprezar a Polícia da Paraíba que todo dia enfrenta o cangaço”. Acusou o governador de agir com “cinismo e autoritarismo”. O líder do Governo, Hervázio Bezerra (PSB), não deixou por menos. Subiu à tribuna para rebater Eliza e foi direto no ‘ponto fraco’ de Cartaxo. “Eu jurava que a deputada viria hoje à tribuna dizer que estava torcendo para que a Câmara aprovasse requerimento da oposição pedindo intervenção do Governo na barreira do Cabo Branco”, disparou Hervázio.

Ele rebateu Eliza que, antes, tinha dito que viaturas policiais estão com pneus carecas. Desafiou a colega a mostrar uma viatura sequer com pneus carecas. Segundo o líder, viaturas com pneus carecas é coisa do passado. “Isso ocorria no passado, quando delegados eram nomeados pelo governador, chegavam às cidades na companhia de deputados e eram apresentados aos prefeitos que os acomodavam em pensões paga pelas prefeituras”, disse, frisando que, hoje, a situação é diferente.

Depois, foi a vez do líder da oposição, Bruno Cunha Lima. Disse na tribuna ter ficado estarrecido com a reação de Hervázio diante do assunto levado a debate por Eliza. Para Bruno, o Governo está criando uma milícia armada. Disse que Ricardo descumpre as leis e decisões judiciais. “Ele não cumpre a lei nem para fazer um chá”. João Gonçalves (PDT) não deixou por menos. Em relação a Eliza, ele disse que a perdoa porque “ela está fora de tempo”. Quanto a Bruno, afirmou que “ele tem todo o direito de espernear”. Para João, os oposicionistas estão se roendo de inveja. Disse que Bruno tem a cara de pau de combater um governo que trabalha para não deixar a Paraíba em crise.

Conselho pode ser acionado

Chateado com João Gonçalves presidente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar-, Bruno ameaçou representá-lo no próprio Conselho e pediu que a expressão “cara de pau”, dita por João, fosse retirada dos anais pela taquigrafia. “Pega mal para esta Casa um deputado mover no Conselho de Ética uma ação contra o presidente deste mesmo Conselho”, disse. Mas a confusão no palanque eleitoral da Assembleia não parou por aí.

O deputado Jeová Campos (PSB) acusou a oposição de politizar qualquer assunto e disse, se dirigindo a Bruno Cunha Lima: “Vocês têm vergonha de falar do tempo que governaram a Paraíba, quando os carros da Polícia tinham pneus furados e paravam por falta de gasolina. Vocês têm vergonha do tempo em que os servidores precisavam fazer empréstimos para receber os próprios salários. É por isso que vocês vão perder as eleições e estão desesperados porque João Azevedo será governador da Paraíba”, afirmou Jeová.

Relacionadas