quinta, 13 de dezembro de 2018
Política
Compartilhar:

Relatório do impeachment será votado hoje

Redação com Agência Brasil / 11 de abril de 2016
Foto: Divulgação
A comissão especial da Câmara dos Deputados que analisa o pedido de impeachment da presidenta Dilma Rousseff  vota ainda nesta segunda-feira (11) o relatório do deputado Jovair Arantes (PTB-GO), favorável ao impedimento. A previsão é de que às 10h tenha início a reunião, na qual 25 líderes terão a palavra antes de ser encaminhada a votação. Sendo ou não aprovado o parecer, ele será analisado pelo Plenário da Casa.

A expectativa é de que o relatório seja lido na primeira sessão plenária após a votação na comissão. Depois de lido, ele será publicado, o que deve ocorrer quarta-feira (13), dando início ao prazo de 48 horas para que seja votado pela plenária. Com isso, as discussões serão iniciadas sexta-feira (15) e a previsão é de que a votação seja concluída no domingo (17).

Apesar do pouco tempo, ao menos quatro deputados paraibanos estão indecisos ou não se posicionaram sobre a cassação da presidente. Os deputados considerados indecisos são Wellington Roberto (PR) e Wilson Filho (PTB). Eles disseram que irão aguardar o posicionamento dos seus partidos para anunciarem uma posição em relação ao impeachment. Quem também figura como indeciso é o deputado Veneziano Vital do Rêgo (PMDB).

Em plenário são necessários 342 votos para que o processo de impeachment seja autorizado pela Câmara. Se a maioria do Senado confirmar essa decisão, Dilma fica automaticamente afastada e o vice-presidente Michel Temer assume, enquanto é realizado o julgamento da presidente.

Parlamentares definem votos

O deputado federal Manoel Junior (PMDB) se posicionou favorável ao processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) que está em curso na Câmara dos Deputados. O parlamentar disse que a decisão foi tomada depois de analisar a peça acusatória e se debruçar atentamente sobre a defesa da petista.

Além do deputado Manoel Junior, os parlamentares Benjamin Maranhão (SD), Efraim Filho (DEM), Pedro Cunha Lima (PSDB) são favoráveis. Também deve se posicionar favorável o deputado Hugo Motta (PMDB).

Já os deputados Luiz Couto (PT), Damião Feliciano (PDT), Rômulo Gouveia (PSD) e Aguinaldo Ribeiro (PP) devem se posicionar contra o impeachment da presidente Dilma.

Pedido de apoio

A presidente estadual do Partido dos Trabalhadores da Paraíba, Giucélia Figueiredo, pediu o apoio da bancada paraibana para barrar o processo de impeachment da presidente Dilma na Câmara.

“A nossa bancada federal é sensível à realidade vivida pelo povo, e sabe que a população brasileira, em especial a paraibana, clama pela retomada do desenvolvimento sócio econômico, que melhorou a vida de milhões de brasileiros e brasileiras nos últimos doze anos.  A oposição paralisou o país na lógica do ‘quanto pior, melhor’, penalizando o povo. Precisamos, definitivamente, superar esta crise política que engessa um governo legitimamente eleito”, analisou.

“Apelamos ao compromisso constitucional de nossos parlamentares para que se posicionem contrários ao impeachment. Uma eventual impopularidade não é motivo para que se desrespeite a soberania popular”, disse.

Relacionadas