quinta, 21 de setembro de 2017
Política
Compartilhar:

TJPB e UFPB firmam parceria e João Pessoa ganhará Polo Jurídico

Redação / 09 de julho de 2015
Foto: Divulgação
O presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba, desembargador Marcos Cavalcanti, participou na ontem de mais uma reunião de trabalho com a equipe técnica da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), sob a coordenação da professora Maria Luiza Alencar, diretora do Centro de Ciências Jurídicas (CCJ), para definir as etapas finais do processo de instalação do Polo Jurídico no prédio da antiga Faculdade de Direito, localizado na Praça João Pessoa, no Centro da Capital.

No dia 10 de junho, segundo o vice-diretor do CCJ, Robson Antão, a UFPB e o TJPB firmaram parceria para viabilizar o uso do prédio da antiga Faculdade de Direito pelo TJ para a instalação de uma ou duas Varas que atenderão à população e os alunos do curso de Direito na prática jurídica.

“A idéia inicial é instalar no local uma Vara da Criança e do Adolescente e uma Vara de Família, ou apenas uma delas”, comentou Robson Antão, frisando que, se forem instaladas as duas Varas, haverá a redução da grande quantidade de processos da Justiça, em mediações e conciliações.

Durante o encontro, ficou agendado para a próxima segunda-feira uma visita de arquitetos e engenheiros do TJ e da UFPB, bem como de representantes do CCJ e do próprio Tribunal, ao prédio localizado na Praça João Pessoa. Na ocasião, as equipes técnicas formada por servidores das duas instituições deverão definir os espaços a serem destinados as unidades judiciárias que irão se instalar no local.

O presidente Marcos Cavalcanti disse que a reunião de trabalho foi positiva, já que as duas instituições avançaram quanto a definição dos espaços que serão reservados ao Tribunal e a Universidade. “Estamos avançando nessa parceria, que visa instalar unidades do poder Judiciária na antiga Faculdade de Direito”, ressaltou o presidente Cavalcanti.

Já a professora Maria Luiza informou que a perspectiva é de que o prédio da antiga Faculdade seja reaberto até o final do ano, com as unidades do Poder Judiciário. “Não podemos fixar uma data, até porque o prédio está sendo restaurado, mas a intenção é instalar as unidades até o final do ano”, comentou a professora Luiza.

Relacionadas