segunda, 19 de fevereiro de 2018
Política
Compartilhar:

Falta de pavimentação nas imediações da Estação Ciência vira queda de braço política

Mislene Santos / 26 de Maio de 2016
Foto: Twitter de Ricardo Coutinho
O governador Ricardo Coutinho (PSB) acusou a prefeitura de João Pessoa de abandonar e tentar isolar o acesso A Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes, localizada no bairro do Altiplano. As críticas foram feitas, nesta quinta-feira (26) através da sua conta no Twitter. Além das mensagens, o socialista postou fotos das ruas nas proximidades do equipamento repletas de buracos. A prefeitura alega que não pode asfaltar as ruas apontadas pelo governador porque o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) não permite.

Nas postagens, Ricardo pediu respeito à arte, à arquitetura, à criação e às coisas belas que em sua gestão foram criadas.  “Quiseram isolar e acabar com a Estação Ciências, porque foi uma das inúmeras obras que o PSB realizou. Até o acesso a sua beleza, negaram. Chega!”, escreveu o governador.

Segundo ele, a Estação Ciências se transformou no principal equipamento turístico de João Pessoa, com mais de um milhão de visitantes por ano. “Se alguns não fazem, nós fazemos, por respeito à cidade, aos que nos visitam e, principalmente, ao nosso povo. Não posso, enquanto gestor público, observar um abandono desses. Estou determinando que o DER que pavimente esse acesso”, ressaltou Ricardo Coutinho.

Resposta

Em respostas às criticas do governador Ricardo Coutinho, o secretário de Infraestrutura da prefeitura de João Pessoa, Cássio Andrade, disse que o asfalto das ruas que dão acesso a Estação Ciências serão iniciadas na próxima segunda-feira (30). Segundo ele, já está no ponto de receber o asfalto. “As obras estão em andamento e serão entregues  no mês de junho”, assegurou o secretário.

Segundo ele, a rua em que o governador postou as fotos não será asfaltada, porque não foi permitido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Ele explicou que toda a área da barreira do Cabo Branco e a Estação Ciência e são tombadas e as ruas no entorno não podem sofrer nenhuma modificação sem a autorização do órgão.

“Quando nós interditamos o tráfego na Barreira, apresentamos um projeto ao IPHAN e não foi aprovado. Com isso, fizemos as alterações sugeridas e após a aprovação iniciamos as obras, porque nós respeitamos as instituições e cumprimos o que determina a lei”, afirmou Cássio Andrade.

 

Relacionadas