terça, 20 de fevereiro de 2018
Eleições
Compartilhar:

Pré-candidatos dão trabalho à Justiça Eleitoral antes mesmo da campanha

Alexandre Kito / 14 de julho de 2016
Foto: Infográfico Correio
A quase um mês para o início do período de campanha eleitoral, alguns pré-candidatos já estão dando trabalho à Justiça Eleitoral e acirrando a  pré-campanha em alguns municípios do estado. Em Cabedelo, Região metropolitana, pré-candidatos do Democratas, PT e PMDB já foram multados por ações irregulares. Em Teixeira, o pré-candidato a reeleição para prefeito, Edmilson Alves dos Reis (o Nego de Guri, do PMDB), foi multado por usar o “Nego” da bandeira do Estado impresso nas blusas para promover propaganda eleitoral antecipada.

Ontem, o Juiz Eleitoral das 57ª Zona de Cabedelo, Kéops Vasconcelos Amaral Vieira Pires, aplicou multa no valor de R$ 10 mil ao vereador Fernando Sobrinho (DEM), pré-candidato a prefeito de Cabedelo. Ele é acusado de antecipar propaganda. No mês passado, o vereador Lucas Santino (PMDB) também foi penalizado pelos mesmos motivos que Sobrinho.

No caso de Fernando Sobrinho, a Justiça Eleitoral entendeu que ele vem realizando atos deliberados de campanha, lançando sua pré-candidatura a prefeito do município, com a realização de uma sequência de eventos político-eleitorais nos quais realizou intensa propaganda, a exemplo de caminhadas, minicomícios e reuniões com eleitores.

O mesmo juiz também multou recentemente as pré-candidatas a vereador Keylla Cristina Silveira Baraúna (PMDB) e Mariza Lopes de Albuquerque (PT). Os motivos da penalidade dizem respeito à divulgação de enquetes nas redes sociais, desrespeitando a legislação eleitoral, segundo o juiz.  Nas sentenças, o juiz destacou que as duas pré-candidatas estavam, constantemente, cometendo irregularidades com finalidades eleitorais, visando se promover.

No caso do prefeito de Teixeira, Nego de Guri, o juiz da 30ª Zona Eleitoral, Gustavo Camacho Meira de Souza, entendeu que o gestor municipal estava usando a bandeira da Paraíba nas blusas para se promover, ao fazer o trocadilho com o nome 'Nego' impresso na bandeira. O Diário da Justiça Eleitoral trouxe a sentença na qual condena o prefeito a pagar multa de R$ 20 mil.

Relacionadas