segunda, 18 de junho de 2018
Eleições
Compartilhar:

Juiz recebe mais 13 representações contra os programas do guia eleitoral

Adriana Rodrigues / 29 de agosto de 2016
Foto: Infográfico Correio
 

O juiz José Ferreira Ramos Júnior, da 1ª Zona Eleitoral e responsável pela propaganda de mídia na Capital, recebeu  mais 13 representações  contra a candidata a prefeita Cida Ramos (PSB), da coligação Trabalho de Verdade, por supostas irregularidades nos programas do guia eleitoral exibido nas emissoras de rádio e televisão.

As representações foram movidas pelo prefeito Luciano Cartaxo (PSD), candidato à reeleição pela  coligação A Força da União Por João Pessoa, com os mesmos argumentos das seis primeiras que já tiveram liminares deferidas pelo juiz.  A alegação é de que o guia da candidata socialista teria sido realizado em desacordo com a resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Aponta como irregularidades, além do uso de locutores e apresentadores, a aparição de um apoiador, o governador Ricardo Coutinho (PSB), em quase 100% do tempo da propaganda, quando só poderia aparecer em 25%.

Como não houve pedido de liminares, o magistrado notificou a Coligação de Cida Ramos para que em 48 horas apresente defesa. De acordo com o advogado Pedro Pires, da coligação A Força da União Por João Pessoa, o que o motivou as representações foram  descumprimentos das legislação eleitoral em vigor e que todas elas foram motivadas pelas mesmas razões das seis primeiras, que tiveram liminares deferidas. “Não somos contra que o governador Ricardo Coutinho apareça no guia e nas inserções da candidata, mas que seja dentro do limite estabelecido pela legislação eleitoral, de 25% do tempo e não 100%”, declarou.

Já o advogado Fábio Andrade, da coligação Trabalho de Verdade, disse que já está fazendo as defesas das representações e afirmou que o que a coligação adversária está querendo, com a enxurrada de representações nos primeiros dias do guia, é impedir que o governador Ricardo Coutinho apareça no guia de Cida Ramos. “Cabe à coligação, após tomar ciência do conteúdo de cada representação, apresentar a defesa e mostrar que a propaganda não violou a legislação eleitoral. Nós vamos fazer exatamente isto”, afirmou o advogado.

 

Relacionadas