quarta, 20 de junho de 2018
Política
Compartilhar:

Conselho de Ética aprova cassação de Cunha; deputado da PB votou contra o processo

Redação / 14 de junho de 2016
Foto: Alex Ferreira / Câmara dos Deputados
O Conselho de Ética aprovou, nesta terça-feira (14), o relatório que pede a cassação do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). O resultado da votação foi 11 votos a favor a 9, contra. O deputado paraibano Wellington Roberto (PR) manteve a postura de aliado de Cunha e votou contra a cassação do colega. Ele era o único do Estado a ser titular no colegiado.

O parlamentar alegou que o pedido de cassação analisava o fato de Cunha ter mentido, ou não, no Conselho de Ética. "Sabendo que a representação é se ele mentiu ou não mentiu e que ele deve ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal, voto contra", falou durante seu voto.

O relator do processo, Marcos Rogério (DEM-RO), também votou pela cassação. Já o presidente do Conselho de Ética, José Carlos Araújo (PR-BA), recomendou a perda do mandato de Cunha. Ele disse que não se sente feliz pela Casa ter dado parecer pela cassação de um deputado, mas que tem o sentimento de dever cumprido.

Eduardo Cunha agora tem cinco dias úteis, a partir da publicação no Diário Oficial, para que sua defesa recorra à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que poderá opinar apenas sobre aspectos formais do relatório e não sobre o mérito.

Depois disso, o processo contra Cunha precisa ser analisado em plenário. Para que ele tenha o mandato cassado é preciso pelo menos 257 votos, a maioria absoluta dos 513 deputados.

Relacionadas