sábado, 18 de novembro de 2017
Política
Compartilhar:

Com impeachment de Dilma, o PMDB paraibano deverá comandar o processo

Alexandre Kito / 27 de março de 2016
Foto: Divulgação
Com a possibilidade de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), os partidos devem reavaliar o formato de redistribuição de cargos federais para os deputados e senadores que estão na chamada “base aliada” no Congresso Nacional. Na Paraíba são em média 25 órgãos federais com vagas indicadas pelas legendas que apóiam o governo petista. O PMDB lidera o ranking e ocupa a maioria dos postos. O PP está na segunda colocação, ganhando para o PT que atualmente é responsável por apenas dois órgãos. PTB, PR e PDT também têm indicações.

O PMDB é responsável pela indicação da maioria dos cargos federais existentes na Paraíba. Empresas como a Funasa, Ministério da Previdência Social (INSS), Ministério da Saúde e da Pesca, além do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas tem suas diretorias comandas por deputados federais e o senador do partido. O beneficio à sigla se deve ao apoio dos peemedebistas ao Governo de Dilma Rousseff. Porém, esse é um dos grandes problemas enfrentados pelo PT e PMDB, que devem anunciar se permanecem unidos ainda esta semana. Caso rompam, os cargos devem ser entregues e a forma de reconquistar o poder de indicação é com a possibilidade de um impeachment da presidente.

Os membros do PMDB na Paraíba, no entanto, vivem a expectativa da reunião marcada para a terça-feira, da Executiva Nacional da legenda, onde será discutida proposta de sair do governo.

Leia mais no jornal Correio da Paraíba

Relacionadas