quinta, 24 de maio de 2018
Paraíba
Compartilhar:

83 mil benefícios do Bolsa Família suspeitos de fraude

Ainoã Geminiano / 03 de junho de 2016
Foto: Nalva Figueiredo
Os números da PGR revelam que a Paraíba é o estado do Nordeste com o maior rombo do País, proporcional mente ao universo de beneficiários, somando mais de 83 mil benefícios suspeitos. Um dos dados que chamam atenção no cadastro do programa federal na Paraíba é a existência de mais de 21 mil empresários recebendo dinheiro do Bolsa Família.

Os municípios com maiores suspeitas de fraudes são Salvador, Brasília, João Pessoa, Manaus e Recife, nessa ordem. Não foram fornecidos outros dados referentes a municípios.

A descoberta da fraude foi feita durante um levantamento do Ministério Público Federal (MPF), cruzando dados de vários órgãos. De acordo com a investigação, o grande volume de benefícios irregulares estão sendo recebidos por empresários, funcionários públicos, doadores de campanhas eleitorais e pessoas que já morreram. Com base no que foi recebido por essas quatro categorias, 5% dos benefícios do país estão sendo pagos a pessoas que não precisam. Na Paraíba, esse percentual é de 11%, o maior do Nordeste. Outras categorias de recebedores irregulares não foram mencionadas pelo MPF.

Mas entre os beneficiários descobertos pelo MPF, há pessoas com tanto dinheiro que até fizeram doações em dinheiro para campanhas políticas, sem falar nos empresários e funcionários públicos, que têm empregos garantido até a aposentadoria.

Ontem, o Correio trouxe a informação de que o MPF havia dado um prazo de 30 dias para que o Governo Federal desse explicações sobre a fraude no programa. Em nota, o Ministério do Desenvolvimento Social, gestor do programa, disse que vai apurar a denúncia. “O Ministério não ignora a possibilidade de irregularidades ocorridas na gestão anterior. A pasta está empenhada em aperfeiçoar o controle e os mecanismos de fiscalização dos beneficiários do Bolsa Família”, disse o texto.

Gente que precisa. No Estado, mais de meio milhão de famílias recebem o Bolsa Família. Criado em 2003, o recurso ajuda a tirar as pessoas da extrema pobreza. É o caso de Maria Anízia dos Santos, 52, dona de casa. Há mais de 10 anos ela recebe o benefício. “Comecei quando meus cinco filhos ainda eram crianças. Eles casaram e moro com meu filho, a nora Adriana Domingos e o neto de 2 anos. Só ele trabalha, como estoquista e o dinheiro ajuda na conta de luz, gás e comida. Em um mês sem trabalhar, passamos necessidade”, contou.

Relacionadas