segunda, 20 de novembro de 2017
Paraíba
Compartilhar:

O preço da corrupção: dinheiro desviado na PB daria para empregar 166 mil pessoas

Henriqueta Santiago, especial para o jornal Correio da Paraíba / 18 de março de 2016
Foto: Rafael Passos
Só nos últimos cinco anos, a corrupção teria  desviado na Paraíba R$ 5 bilhões dos cofres públicos. Contra isso, o MPT se engaja em campanha nacional. A cada ano, o Estado perde cerca de R$ 1 bilhão com a corrupção. Esse valor representa 2,3% do PIB (Produto Interno Bruto) da Paraíba, que em 2013, chegou a R$ 46,3 bilhões. É uma estimativa da Fiesp e dos órgãos de controle, utilizada pelo Fórum Estadual de Combate à Corrupção (Focco), no qual o Ministério Público do Trabalho faz parte.

Com esses desvios na administração pública, quem paga um preço alto é a sociedade: 166 mil paraibanos estão desempregados, segundo dados divulgados na última terça-feira, pelo IBGE.

Conforme a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), o número de desocupados no Estado (em dezembro de 2015) foi o maior já registrado nos últimos quatro anos (8,4% superior ao mesmo período de 2014).

R$ 15 mil...

É o valor médio anual de um trabalhador com carteira assinada, que ganha um salário mínimo (R$ 880) e tem os direitos trabalhistas pagos.

Focco-PB convoca população

Para combater esses desvios de dinheiro público, reduzir a impunidade com a aplicação de penas mais severas e, ainda, garantir mais celeridade ao Ministério Público e Judiciário, 10 medidas contra a corrupção serão entregues ao Congresso Nacional, no próximo dia 29.

Para intensificar essa ação, órgãos integrantes do Focco-PB (entre eles, o MPT) realizarão na próxima terça-feira, o ‘Dia D’ de coleta de assinaturas da Campanha 10 Medidas Contra a Corrupção.

O evento acontecerá das 8h às 17h, no Ponto de Cem Réis, em João Pessoa. No local, haverá serviços gratuitos de saúde para a população.

Pontos de coleta. Na Capital, também haverá coleta de assinaturas nas Casas da Cidadania de Jaguaribe e do Shopping Tambiá, Agência Central dos Correios, sede do INSS, Sebrae e Faculdade Maurício de Nassau.

Em Campina Grande, haverá coleta nos Correios da Praça da Bandeira e Sebrae.

Meta de 50 mil adesões.Segundo o coordenador do Focco, procurador do trabalho Cláudio Gadelha, a meta é coletar 50 mil assinaturas até 22 de março. No Brasil, até ontem, já havia mais de 1,7 milhão de assinaturas, sendo 38 mil da Paraíba, o 3º do Nordeste em adesões.

Para saber mais sobre a campanha, acesse www.dezmedidas.mpf.mp.br.

Relacionadas