quinta, 21 de setembro de 2017
Paraíba
Compartilhar:

Governador anuncia segunda etapa do projeto “Paraíba faz Educação”

Adelson Barbosa dos Santos / 15 de julho de 2015
Foto: Secom-PB
Implantação de escolas técnicas em tempo integral; criação do EJA (Educação de Jovens e Adultos) tecnológico; oferta de cursos de mestrado para capacitação de professores da rede estadual de ensino; realização de matrículas online; criação de uma sala de atendimento para capacitação de profissionais da educação dos municípios; e implantação de um currículo básico.

Estas são algumas das providências tomadas pelo Governo da Paraíba para, segundo o governador Ricardo Coutinho, reduzir drasticamente a evasão escolar que ele considera criminosa e que chega a 30% no Brasil.

As medidas, segundo Ricardo Coutinho, que consistem nos eixos tecnológico e da cidadania, “são necessários para tornar a escola mais útil e atraente”. Conforme o governador, as medidas “precisam ser aceleradas de forma que as escolas agreguem valor”.

Para o governador, somente pela educação os sonhos de milhares de paraibanos poderão ser recompostos. “Mas isso só acontecerá se a educação proporcionar escolas de boa qualidade que gerem perspectivas de empregos”, frisou. Segundo Ricardo, é preciso modificar a realidade atual da sociedade por meio da educação. “Isso só será feito mediante um processo de construção da nova identidade e da nova cultura”, declarou.

Ricardo Coutinho disse que o Brasil perdeu duas gerações inteiras de jovens para a violência da década de 1980 para cá. “Só acredito na educação como instrumento para vencer os desafios do País. Não conseguimos observar uma coisa essencial. Perdemos duas gerações. Tínhamos uma visão crítica das escolas integrais. Dizia-se que as escolas idealizadas pelo governador Leonel Brizola (do Rio de Janeiro) na década de 1980 não eram para os filhos do povo. Mas era um conceito de escola em tempo integral que, se tivesse sido ampliado e adaptado às novas condições do país, não teríamos hoje tantos jovens morrendo vítimas da violência”, afirmou o governador.

No discurso, Ricardo deixou clara sua posição contrária à redução da maioridade penal. Disse que, dos 60 mil assassinatos por ano no Brasil, menos de 1% é praticado por menores de 18 anos. “Mas 13% deles são vítimas desses assassinatos. Isso ocorre porque a evasão escolar é alta e porque o Brasil não faz da educação um instrumento para melhorar o amanhã”, justificou Ricardo Coutinho, acrescentando que a educação tecnológica e profissionalizante é fundamental para os jovens que não conseguem entrar na Universidade via Enem.

Relacionadas