segunda, 18 de dezembro de 2017
Paraíba
Compartilhar:

Cinco incêndios são combatidos por dia na PB e região de Patos é campeã de ocorrências

Redação com Secom-PB / 12 de agosto de 2015
Foto: Secom-PB
Cinco incêndios combatidos por dia. Esse é o número de ocorrências registradas pelo Corpo de Bombeiros na Paraíba, que totalizou 155 atendimentos no mês de julho. A região do município de Patos, no Sertão, foi onde mais se registraram esses incidentes (74). Já na Grande João Pessoa, o número de incêndios chegou a 46, enquanto na região de Campina Grande esse tipo de ocorrência alcançou o número de 35 atendimentos.

Conforme o balanço dos Bombeiros, o número maior no Sertão se deu em virtude da prática das queimadas em terrenos baldios e em lixo. Esses dois tipos representaram quase 69% (45 casos) do total de incêndios registrado em toda a região.  Segundo o comandante do 3º Comando Regional de Bombeiro Militar (3º CRBM), coronel Marcelo Araújo, o tempo seco e a imprudência são fatores que aumentam a incidência de incêndios na região.

“Nos últimos quatro anos, a seca tem sido muito rigorosa e em consequência dessa estiagem a vegetação fica mais suscetível a pegar fogo. Paralelo a isso, tem um costume na região, às vezes por falta de coleta de lixo adequada, das pessoas quererem resolver de forma brusca e se livrar do lixo utilizando a queimada”, comentou o coronel, ao alertar que essa atitude pode prejudicar quem reside próximo aos locais incendiados.

Segundo ele, a fumaça causa danos à saúde e até ao patrimônio. “Também orientamos aos agricultores que quiserem desmatar que eles só podem fazer isso com a autorização do Ibama, que é o órgão competente para tal liberação, de forma que a queimada seja feita de forma controlada”, acrescentou.

“Nossas guarnições têm atuado muito nas ocorrências de fogo em terreno baldio e é um tipo de combate desgastante pela temperatura elevada que existe na região. Eles têm se empenhado muito para debelar esse tipo de incêndio”, contou o coronel Araújo, ao lembrar que a tendência é que a seca aumente até o final do ano.

Para que os incêndios não acompanhem esse crescimento, as cinco unidades do Corpo de Bombeiros da região irão trabalhar a conscientização e a orientação da população.

Relacionadas