domingo, 20 de maio de 2018
Geral
Compartilhar:

Incêndio atinge Pico do Jabre no Sertão da Paraíba

Fernanda Figueirêdo / 17 de setembro de 2016
Um incêndio florestal de grandes proporções atingiu o Pico do Jabre, um dos principais pontos turísticos da Paraíba, localizado no Sertão paraibano, entre os municípios de Matureia e Teixeira. Devido a altitude elevada do local, as chamas começaram a ser vistas nessa sexta-feira (16) por volta das 14h de diversas cidades. De acordo com o comando do 4º Batalhão de Bombeiro Militar, é provável que o fogo tenha sido ocasionado por caçadores. Foram registrados quatro focos principais. Neste sábado (17), 22 bombeiros retornam ao local para tentar controlar o incêndio.

“Ontem (sexta) uma equipe de 10 homens foi ao local, mas não conseguiu controlar o fogo, que continua se expandindo. Não temos nem noção da área incendiada, já que o parque ambiental é muito acidentado e não nos permite ter visibilidade completa. Acredito que o incêndio foi provocado por ação de caçadores, que agem muito naquela região. Eles usam espingarda artesanal com pólvora e quanto atiram libera faísca. Como a vegetação está seca isso já é o suficiente para provocar incêndios”, explicou o comandante do 4º BBM, Saulo Laurentino.

O local é difícil acesso e a equipe está tendo que usar mochilas para carregar água e abafadores para tentar controlar as chamas. O comandante ressaltou que, por enquanto, a prioridade das equipes está sendo evitar que as chamas atinjam antenas de transmissão de operadoras de telefones móveis, internet e televisão. Até o fechamento desta edição os bombeiros não tinham notícias de feridos no local.

Há pouco mais de um mês, o Corpo de Bombeiros de Patos também atendeu ocorrência de incêndio na Serra de Teixeira, que perdurou por mais de 48 horas, devastando aproximadamente 50 hectares de vegetação entre as cidades de São José do Bonfim e Teixeira. O comandante Saulo disse que o laudo pericial foi inconclusivo, embora ele acredite que este também tenha sido ação de caçadores.

“No último incêndio, na Serra de Teixeira, o perito concluiu que não havia condições técnicas de atestar a causa do fogo, mas sabemos que esta região é bastante propícia e todo cuidado é pouco. Porque temos além da estiagem, altas temperaturas e umidade relativa do ar muito baixa, elementos que combinados a ação de caçadores resultam nestas ocorrências. Tenente-coronel Saulo Laurentino, comandante do 4º Batalhão de Bombeiro Militar.

 

Relacionadas