sábado, 18 de novembro de 2017
Entrevista
Compartilhar:

Marina Silva quer fortalecer Rede na Paraíba e aposta no nome de Gobira

Nice Almeida / 30 de agosto de 2017
Foto: Divulgação
A ex-senadora e pré-candidata a presidente da República Marina Silva que fortalecer o seu partido, o Rede Sustentabilidade, na Paraíba. Para isso alguns nomes já estão se colocando como pré-candidatos a deputados, segundo confirmou a própria Marina em uma entrevista exclusiva ao Correio Debate, da rádio Correio Sat/98FM, nesta quarta-feira (30). O artesão Antonio Gobira, de Cajazeiras, deve ser uma dessas alternativas para alavancar a legenda.

“Estamos recebendo filiações importantes como Antonio Gobira, que obteve quase 50 mil votos na eleição passada para deputado federal. O professor Eduardo, ex-vice-reitor da UEPB, e outras pessoas que estão dialogando. Estamos organizados (na Paraíba) através de elos municipais. Não temos a figura dos diretórios. Estamos presentes em mais de 30 cidades com comissões provisórias com 60 filiados nas plataformas da Rede nessas cidades. Temos estimulado pessoas a serem candidatos a deputado federal e estadual para que a gente possa contribuir. Temos pelo menos dez pré-candidatos a federal e oito a estadual”, revelou Marina Silva.

O Brasil

Com relação ao momento pelo qual passa o Brasil e toda a crise política, Marina Silva disse que é preciso que o cidadão brasileiro contribua para o fim da corrupção no momento do voto. “A gente pode ajudar a Lava Jato em dois níveis: institucionalizando as conquistas, fazendo com que as ações possam ser transformadas em requerimentos para punir, prevenir e promover uma gestão pública honesta, que respeite o dinheiro do contribuinte. O outro nível é a operação Lava Voto e a sociedade fazendo sua parte na hora de votar não escolhendo os que estão envolvidos em corrupção”, argumentou.

Para ela, o país vive um momento dramático. “Sobretudo esses 14 milhões que perderam seus empregos e a gente verifica o dramático problema da corrupção envolvendo a maioria das lideranças políticas. Isso causa certa perplexidade e falta de esperança principalmente para população que vive do seu trabalho, enfrentando dificuldade para viver honestamente. O que há de mais grave é a quebradeira moral que envolve os que deveriam dar exemplo”, falou.

Relacionadas