quarta, 26 de setembro de 2018
Esportes
Compartilhar:

Presidente do Esporte de Patos revela sofrimento para permanecer na elite

Raniery Soares / 16 de abril de 2016
Foto: Rafael Passos

Faltam três jogos para o fim do quadrangular da morte, mas antes de contar com estas oportunidades, a chance de ouro do Patinho Terror do Sertão será neste domingo (17), enfrentando o Auto Esporte, no Almeidão, às 17h, pelo Campeonato Paraibano.



Sem recursos para pagar os salários do elenco e já sem seis jogadores que deixaram o clube, o presidente Marco César foi enfático e disse que caso o resultado desta próxima partida seja outro e não a vitória, uma nova leva de dispensas vai ocorrer, afinal o time já estará rebaixado.



 O goleiro Andrezon, os zagueiros Moisés e Vidal, além do lateral-esquerdo Júnior e o volante Ivan foram dispensados pela diretoria. A exceção foi o atacante Eduardo Rato, que se reuniu com a diretoria e negociou a sua saída.



Segundo o dirigente, a briga jurídica com o Nacional de Patos pela vaga na Primeira Divisão e a falta de pagamento das verbas do Programa Gol de Placa foram os principais motivos para a campanha sem sucesso nesta temporada.



“Começamos a nossa preparação depois de todos os clubes, pois quem garantia que nós estaríamos no Paraibano? Além disso, o valor que nós recebemos não foi nem a metade do prometido pelo Governo e infelizmente, fizemos a nossa programação toda em cima deste recurso. Nos últimos anos recebemos tudo em dia e por não termos outras fontes que possam ajudar com o mesmo valor, ficamos reféns deste benefício para montarmos o time e pagarmos os salários”, conta.



A crença no jogo contra o Auto



Marco garante que alguns até já jogaram a toalha em relação ao Esporte de Patos nesta temporada, mas o presidente ainda acredita que pode ser ‘salvo pelo gongo’. Segundo ele, uma vitória neste domingo (17) diante do Auto Esporte reascende as chances de permanência do Patinho na Primeira Divisão. O clube ainda não conseguiu somar nenhum ponto no quadrangular, com três derrotas consecutivas.



“Do jeito que eles ganharam de nós na nossa casa, podemos vencê-los nesta reta final. É difícil, mas no futebol muita coisa pode acontecer em uma partida e eles sabem que se o time for rebaixado, será ainda mais difícil quitarmos o que ainda estamos devendo, pois até os nossos apoiadores correm o risco de nos deixarem no meio do caminho”, contou.



Além deste jogo, o time ainda voltará a jogar contra o Santa Cruz, no José Cavalcanti e o último enfrentando o Atlético de Cajazeiras, no Perpetão.



“Se não vencermos, alguns já podem ficar em João Pessoa mesmo”



Grande parte do elenco do Patinho Terror do Sertão mora em João Pessoa. Jogadores profissionais e outros provenientes da base do Botafogo da Paraíba participaram da campanha deste ano, na tentativa de fazer com que o Esporte permanecesse na elite do futebol paraibano. Contudo, a declaração do presidente do alvirrubro é rápida e direta, afirmando que caso o time não vença, parte dos jogadores que residem na Capital não precisam mais nem voltar para Patos.



“Estou avisando para os atletas que moram em João Pessoa ou nas proximidades que podem arrumar as suas malas antes desse jogo. Se o resultado não for a vitória, não adianta mais eles continuarem e por isso já serão dispensados depois da partida. Sem nenhuma chance de classificação, melhor é que eles já possam ficar em casa e terminaremos a competição apenas com jogadores da base e da região de Patos”, finalizou.

Relacionadas