segunda, 24 de setembro de 2018
Esportes
Compartilhar:

Popó vai pendurar as luvas e fala sobre a situação do esporte no país e outros projetos

Raniery Soares / 19 de junho de 2016
Foto: ACERVO PESSOAL
Dono de quatro títulos mundiais e um dos principais símbolos do esporte entre as décadas de 90 e 2000, o pugilista Acelino ‘Popó’ Freitas definitivamente deixará o boxe neste segundo semestre. Esta foi a afirmação do baiano de 40 anos, em entrevista ao Correio da Paraíba, adiantando que uma luta de encerramento ainda poderá acontecer em Belém (PA), mas que não há nada certo pois as negociações não avançaram.

Com mais de 25 anos dedicados ao boxe, Popó se vê em outro momento. Segundo ele, a ‘volta’ para os ringues, a princípio foi tão somente para realizar um desejo do filho mais novo (o Popozinho), que era o de vê-lo lutar. Depois, Acelino Freitas confessa que se sentiu empolgado, mas preferiu deixar apenas na vontade, o plano de voltar a competir profissionalmente.

“Vai fazer um ano que eu fiz esta luta com o Mateo Veron. Dominei toda a luta e no final ainda consegui nocauteá-lo, característica de vitória que sempre foi nossa, durante toda a carreira. Até fiquei animado pra voltar, mas esta luta foi tão somente para realizar um sonho do meu filho, que nunca havia me visto lutar ao vivo, só em vídeos das vezes que fui campeão”, contou.

Perguntado sobre a situação atual do esporte no país, Popó se restringiu inicialmente ao boxe, mas depois acrescentou que as modalidades ‘menos comuns’ precisam ser vistas assim como todas as outras.

“O boxe tá bem representado. Nas últimas olimpíadas fomos medalhistas com a Adriana Araújo, além dos irmãos Yamaguchi e Esquiva Falcão. Temos chances também agora com o Robson Conceição e por ele pode vir a tão sonhada medalha de ouro que não temos. Agora também é preciso olhar um pouco mais para os esportes que ainda são erroneamente colocados como amadores. Se investe muito em alguns e na maior parte das modalidades, as confederações ainda penam muito pra realizar um trabalho mais forte, exatamente pela falta de recursos”, contou.

Para o futuro, Popó planejava uma luta para encerrar definitivamente a carreira. O combate seria em Belém (PA), onde o pugilista reverteria todo o dinheiro arrecadado para a construção de um centro de iniciação esportiva na capital do Pará. Contudo, ele afirmou não ter tido retorno do poder público e com isso, o evento pode ser inviabilizado.

“Se não acontecer, vou continuar sendo o Popó esposo, pai, amigo e sempre presente no esporte. Por enquanto será isso, mas futuramente penso em atuar de maneira mais presente no esporte, seja por um instituto ou alguma outra iniciativa no mesmo sentido”, afirmou.

Leia Mais

Relacionadas