segunda, 19 de fevereiro de 2018
Esportes
Compartilhar:

Paraibana presencia Tocha Olímpica ser acesa na Grécia antes de vir ao Brasil

Érico Fabres / 02 de Maio de 2016
Foto: Arquivo pessoal
Na quarta-feira (27), quando faltavam 100 dias para o início da Rio 2016, a tocha olímpica foi entregue oficialmente às mãos do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos Rio 2016 e recebida pelo presidente do comitê, Carlos Arthur Nuzman, em cerimônia realizada no Kalimarmaro Stadio, também conhecido como Estádio Panatinaikos, em Atenas, arena da primeira Olimpíada da era moderna, em 1896. Antes mesmo de chegar na Paraíba (a partir de 2 de junho, onde passará por JP, Campina e outras cinco cidades) na tour que será realizada no Brasil e que precede a chegada à cidade maravilhosa, a paraibana Hellen Labrinos Vlattas, 33 anos, presenciou e prestigiou a ‘pré-estreia’ da tocha, junto com uma amiga patoense e diversos outros brasileiros.

Casada com um grego e morando no país desde 2012, ela conta que o Estádio Kalimarmaro ou Panatinaikos foi construído em 329 antes de Cristo, feito todo em mármore. “É um templo olímpico. Na cerimônia tivemos samba, apresentação de um grupo chamado kilombo que toca percussão muito bem. Também tivemos o bumba meu boi e um grande cantor grego o Sakis. Teve até um integrante da banda vindo conosco sambar e até tentar uma capoeira, foi incrível”, conta. Ela conta que a plateia brasileira estava muito animada, dançando na arquibancada, dança grega tradicional, além do ritmo brasileiro.

Amor sem fronteiras pelo Brasil

Ela conta que foi incrível poder ver tudo de perto e que foi uma cerimônia simples, porém muito bonita. “Todos sabem que os gregos criaram os jogos olímpicos e por isso sabem como ninguém honrar a tradição dos dois países”, diz. Hellen lamenta apenas constatar que “muitos que adoram ‘gritar’ nas redes sociais que têm vergonha de ser brasileiro, infelizmente não compreendem o quanto o País é respeitado e amado. Os gregos parecem conosco em alegria e gentileza”.

A advogada paraibana conta que agora, a partir do momento que o fogo olímpico passou oficialmente para o Brasil, o que resta é torcer para que o Rio de Janeiro faça uma bela festa.

Relacionadas