segunda, 16 de julho de 2018
Futebol
Compartilhar:

Correio elenca desafios que o novo técnico do Botafogo terá pela frente

Allan Hebert / 08 de junho de 2018
Foto: Rafael Passos
Após a saída de Leston Júnior do comando do Botafogo, a diretoria segue em busca de um de um substituto. O perfil traçado pelos cartolas é de um profissional que conheça alguns atletas do elenco, que tenha experiência no futebol do Nordeste e que já tenha trabalhado na Série C. Independente do perfil, uma coisa é certa: o novo técnico terá muito trabalho para recuperar a equipe, que não vem bem na Terceirona.

Enquanto o novo treinador não é anunciado, o auxiliar Ramiro Souza vai treinando a equipe e estará no banco de reservas na partida diante da Juazeirense-BA, amanhã, às 18h30, no estádio Adauto Moraes, pela 9ª rodada. Vale lembrar que Ramiro salvou o Botafogo do rebaixamento para a Série D no ano passado, quando assumiu o comando do time nas duas últimas rodadas.

O profissional que assumir o Botafogo agora terá no mínimo nove jogos pela frente rumo ao tão sonhado acesso. O Correio elencou algumas das missões que o novo treinador terá para recolocar o Alvinegro da Estrela Vermelha nos trilhos e retomar o caminho das vitórias.

Obstáculos

1. Pressão pelo acesso

O objetivo principal será buscar o acesso à Série B. O Botafogo já está disputando a sua quinta Terceirona de forma consecutiva e a pressão para ascender aumenta a cada ano. O profissional que for anunciado terá que lidar bem com a cobrança da torcida, que está ansiosa para ver o time na Segunda Divisão do Brasileiro.

2. Problemas defensivos

A defesa do Botafogo não vem bem nesta Série C. Até aqui, o time disputou oito jogos e foi vazado nove vezes, o que registra uma média de 1,12 por partida. Visando solucionar o problema, a diretoria anunciou nesta semana a contratação do zagueiro Luan. Ele brigará por uma vaga no time com Júnior Lopes, Gladstone, Lula e Walber.

3. Laterais que não empolgam

Outro problema no sistema defensivo é o desempenho dos laterais do Belo. Na direita, Felipe Cordeiro e Gedeílson se revezaram na posição, com o primeiro tendo jogado bem mais, mas sem brilho. Na esquerda, Fábio Alves começou o ano como titular, mas machucou o joelho. Daniel não entrou bem no time. Já Carlos Renato teve atuações apenas regulares.

4. Atacantes em baixa

O ataque do Bota é o terceiro do Grupo A em número de gols, mas o desempenho dos atletas da função não agradam. Tanto que o artilheiro do time da Série C é o meia Marcos Aurélio, com três gols. O mais criticado é Nando, que até aqui só balançou as redes adversárias duas vezes, mesmo número de Dico e Mário Sérgio, que também não deslancharam na competição.

5. Operação Cartola

Os cartolas do Alvinegro da Estrela Vermelha tentam não transparecer a ansiedade, mas a Operação Cartola, que investiga possíveis irregularidades como na manipulação de resultados no futebol da Paraíba, mexeu com o ambiente na Maravilha do Contorno. Vale lembrar que cinco cartolas do Belo são alvos da operação.

*Allan Hebert, do Jornal Correio da Paraíba

Relacionadas