quinta, 13 de dezembro de 2018
Esportes
Compartilhar:

Amadeu Rodrigues fala sobre Paraibano, decepção e expectativa para temporada 2017

Raniery Soares / 20 de junho de 2016
Foto: Rafael Passos
“Tivemos conquistas, mas ainda precisamos melhorar muito”. Esta seria a melhor definição para o Campeonato Paraibano, pelo menos na fala do presidente da Federação Paraibana de Futebol, Amadeu Rodrigues. Em entrevista ao Correio da Paraíba, ele falou sobre a realização do Estadual, a decepção com o calendário e a expectativa para a temporada 2017, mesmo com esta ainda não tendo chegado ao fim.

O presidente é categórico ao dizer que este foi o ‘primeiro campeonato paraibano feito pelas mãos da sua gestão’, citando que a Primeira Divisão do ano passado foi formatada pela Junta Administrativa que assumiu a FPF quando a saída de Rosilene Gomes do cargo foi decretada pela justiça.

Na avaliação de Amadeu, o Campeonato Paraibano não foi como a entidade imaginava. Ele garante que se o calendário precisar ser ampliado por um bom motivo, por outro lado os problemas com a justiça fizeram com que todos os prazos fossem ultrapassados.

“Nós infelizmente não conseguimos cumprir as metas como desejávamos. Primeiro tentamos cumprir o calendário proposto pela CBF, mas para a nossa felicidade tivemos Botafogo e Campinense passando de fase nas competições nacionais e com isso, o nosso Estadual precisou ser colocado mais para frente. Também tivemos o problema do Treze com a justiça desportiva, levando a competição para estourar todas as datas possíveis, mas graças a Deus acabou tudo bem”, avaliou.

Sobre as conquistas, o mandatário destaca pontos como a antecipação de cotas das competições nacionais para os times paraibanos, a conquista da segunda vaga para a Paraíba na Série D, além da reversão do mando de campo do Sousa, permitindo que o time sertanejo pudesse estrear no Campeonato Brasileiro jogando em casa.

“A gente trabalha nos bastidores. Tudo que existe entre os nossos clubes e a CBF, a Federação sempre se faz presente para discutir e colaborar. Pedimos a antecipação de cotas, pois sabemos que os nossos clubes precisam muito desse dinheiro para continuarem com o seu planejamento, o caso do Sousa que havia perdido o mando de campo e seria muito ruim para aquela cidade ter o seu time jogando em Campina Grande e paralelo a isso, gritamos aqui da Paraíba para pedirmos a segunda vaga da Série D, assim como outros estados conquistaram. Teve algum avanço sim e agora vamos buscar adequar outros pontos que faltam para que o nosso futebol possa melhorar”, disse.

Confira outros pontos da entrevista com Amadeu Rodrigues:

Segunda divisão em discussão

“Já iniciamos o planejamento para a Segunda Divisão. 12 ou 13 equipes se mostraram interessadas, mas algumas precisam ainda regularizarem a sua situação fiscal, o que será cobrado obrigatoriamente pela CBF nos próximos meses. As equipes são praticamente as mesmas que disputaram o ano passado e por enquanto, a expectativa é que o torneio seja iniciado em meados de agosto”.

Problemática dos Estádios

“No ano passado fizemos um ofício no dia 5 de novembro, solicitando a todos os órgãos competentes a elaboração dos laudos de vistoria por parte dos órgãos competentes de engenharia, acessibilidade, higiene e prevenção contra incêndios. Este ano novamente vamos enviar e desta vez vou conversar pessoalmente com os prefeitos, no caso dos estádios que pertencem aos governos municipais e a Suplan, para as praças que pertencem ao Estado para agilizarmos esta documentação, que é por onde tudo começa. Vamos fazer isso em outubro, que é exatamente quando a Segunda Divisão estará sendo finalizada”.

“Queremos datas fechadas”

“O que queremos é que a CBF defina as datas para 2017 sem tirar dos Estaduais, até porque eu mesmo fui prejudicado com isso. Ainda nos primeiros meses da temporada, enviei um ofício pedindo uma data para a CBF e de pronto eles nos atenderam, mas pouco tempo depois recebi um telefonema de Manoel Flores falando que teria que voltar atrás, pois precisaria da data para a Copa do Brasil. A nossa proposta conjuntamente com os presidentes das federações do Nordeste é que a Confederação nos dê datas fechadas, pois aí sim poderemos programar os nossos estaduais”.

Participação da imprensa na construção do regulamento 2017

“Vejo que precisamos sentar mais, inclusive com a imprensa para discutir regulamento. Já senti que discutimos muito as datas, os confrontos, mas pouco se discute o regulamento em si, já que ele chega já pronto e fica a discussão no arbitral. Este debate precisa ter a participação da imprensa e não só dos clubes. Então, a nossa proposta é fazer isso: para 2017 formarmos um conselho com a FPF, clubes e imprensa e assim, possamos discutir como pode ser o campeonato do próximo ano”.

Relacionadas